Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Descubra qual será o reajuste sofrido por cada medicamento

Variação do preço poderá ser de até 5,64%, dependendo da classificação do remédio. Lista da Anvisa permite saber a categoria de cada droga

A partir do dia 31 de março, o preço dos medicamentos comercializados no Brasil poderá sofrer um reajuste de até 5,68%, segundo definiu a Câmara de Regulação de Medicamentos (CMED) nesta quarta-feira. A variação no valor dos remédios dependerá da classificação de cada um – se nível 1, 2 ou 3.

Os medicamentos de nível 1, entre eles o omeprazol e a amoxilina, tiveram reajuste autorizado de até 5,68%. Os de nível 2, de até 3,35%, e os de nível 3, como a ritalina de 1,02%. Uma lista da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permite saber a classificação de cada remédio – e, portanto, o possível aumento no preço de cada um.

As regras para reajuste valem para cerca de 24 000 itens. Medicamentos de alta concorrência no mercado, fitoterápicos e homeopáticos não estão sujeitos aos valores determinados pela CMED, sendo que seus preços podem variar de acordo com a determinação do fabricante.