Clique e assine com até 92% de desconto

Covid-19: resultados finais da vacina de Oxford sairão até o Natal

Previsão foi dada por cientista envolvido no estudo com o imunizante; No Brasil, aplicações das doses em voluntários estão em estágio bastante avançado

Por Mariana Rosário 22 nov 2020, 18h10

Os resultados dos estudos de Fase 3 da vacina para Covid-19 da Universidade de Oxford, desenvolvida em parceria com o laboratório Astrazeneca, devem ser conhecidos até o Natal, afirmou o líder do na instituição de ensino no Reino Unido, Andrew Pollard. Estes resultados dizem respeito a segurança e eficácia do medicamento, portanto, fundamentais para sua aprovação pelas agências reguladoras.

Em entrevista a BBC, o especialista disse que não há “competição” com outros imunizantes. “Vamos precisar de todos eles para proteger as pessoas ao redor do mundo”.  Na quinta-feira, 19, o consórcio entre Oxford e Astrazeneca anunciou que o imunizante produz forte resposta imunológica em idosos com mais de 70 anos, sem efeitos adversos graves. Os achados fazem parte da análise de fase 2.

A candidata a vacina Oxford/AstraZeneca está sendo testada no Brasil em estudo liderado pelo Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A instituição comemora o bom andamento dos testes, que chegam a um patamar esperado: faltam poucas dezenas de voluntários para que o número total de 10.000 pacientes tenham recebido doses da vacina ou do medicamento placebo. Mais da metade dos voluntários também já tomaram a segunda dose. A expectativa dentro da universidade também é que os resultados preliminares sejam conhecidos até o fim deste ano.

O Ministério da Saúde fez acordo com a farmacêutica para adquirir doses da vacina e para a produção dela no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Neste domingo, 22 , o Brasil registrou 18.615 casos e 194 óbitos e teve médias móveis atualizadas em 29.758,3 novos diagnósticos e 483,6 novas mortes por conta do novo coronavírus.

 

Continua após a publicidade
Publicidade