Clique e assine a partir de 8,90/mês

Covid-19: resultados da vacina são esperados até novembro, diz Moderna

Em entrevista à CNBC, Stephane Bancel, CEO da empresa, diz que dados da eficácia dependem da taxa de infecções no país

Por Da Redação - Atualizado em 17 set 2020, 18h21 - Publicado em 17 set 2020, 18h13

A Moderna, empresa americana de biotecnologia, espera ter resultados sobre a eficácia de sua vacina contra a Covid-19 até novembro. Em entrevista ao site americano Business Insider, Stéphane Bancel, o CEO da Moderna, disse que no “melhor caso” os resultados já estarão disponíveis em outubro. No realista, em novembro e, no pior, em dezembro.

Segundo ele, o fato de o número de novos casos estar em queda nos Estados Unidos pode atrapalhar o andamento do estudo. “Se as taxas de infecção no país diminuíssem nas próximas semanas, poderia ser considerado o pior cenário. É triste dizer, mas é assim que funciona a pesquisa clínica – precisamos de pessoas que contraem o vírus para poderem cientificamente, em um processo muito rigoroso, calcular quantas pessoas contraem a doença com uma vacina, quantas pessoas contraem a doença com placebo para calcular a eficácia ”, disse Bancel, à CNBC, em outra entrevista.

A Moderna usa em sua vacina uma plataforma de RNA mensageiro, mesma estratégia usada pela farmacêutica americana Pfizer no imunizante desenvolvido em parceria com a empresa alemã BioNtech. A Pfizer espera ter resultados da eficácia de sua vacina no final de outubro.

Farmacêuticas do mundo todo estão correndo para produzir uma vacina eficaz contra o novo coronavírus o mais breve possível. Inclusive, as mais avançadas se comprometeram a produzir o imunizante antes mesmo de ter certeza se ele funciona. Dessa forma, assim que saírem os resultados e a vacina for aprovada, algumas milhões de doses já poderão ser aplicadas, de forma a contribuir para acabar com a pandemia de Covid-19.

ASSINE VEJA

Covid-19 no Brasil: o pior já passou Leia nesta edição: Queda na curva de mortes mostra sinais de alívio na pandemia. E mais: por que o futuro político de Lula está nas mãos de Bolsonaro
Clique e Assine
Continua após a publicidade
Publicidade