Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Covid-19: Número de mortes diárias é inferior a mil por três meses

O maior período em que o número de óbitos em 24 horas esteve abaixo de mil havia sido nos 63 primeiros dias da pandemia, entre março e maio de 2020

Por Matheus Deccache 19 nov 2021, 19h04

Com 226 mortes registradas pela Covid-19 no Brasil nesta sexta-feira, 19, a média móvel de mortes chegou a 268,4 e segue em crescimento pelo terceiro dia consecutivo, algo que não acontecia desde junho. No entanto, o número de mortes contabilizadas em um dia é inferior a mil por três meses seguidos, o que configura um recorde. Até então, o maior período em que o número de vítimas fatais em 24 horas esteve abaixo de mil havia sido nos 63 primeiros dias de pandemia no país, de 17 de março a 18 de maio de 2020. 

Já a média móvel de novos casos também segue impactada de maneira positiva pelo avanço da campanha de vacinação. Apesar de se manter estável pelo 12º dia seguido, o índice chegou a 9.160,1 e é o menor valor desde 13 de maio de 2020, quando a pandemia ainda não havia completado dois meses no Brasil. Além disso, o mês de novembro segue sem registrar aumento na média móvel de diagnósticos — são 14 em estabilidade e 5 em queda, segundo levantamento feito por VEJA.

O cálculo de médias móveis feito pelo levantamento de VEJA consiste em somar todos os registros dos últimos sete dias e dividir o total por sete. Assim, é possível ter uma visão ampla do atual momento da pandemia. Os gráficos ao final da matéria mostram a evolução diária da média móvel no Brasil, nas cinco regiões geográficas, nos 26 estados da Federação (mais o Distrito Federal) e nas 27 capitais do país.

Com 13.355 novos casos e 226 mortes, o Brasil chega a 22.003.317 diagnósticos de Covid-19 e 612.370 óbitos desde o início da pandemia.

Confira a média móvel da pandemia da Covid-19 no Brasil, nas cinco regiões do país e em todos os Estados:

Continua após a publicidade

Confira a média móvel da pandemia da Covid-19 nas 27 capitais brasileiras, separadas em suas regiões*:

Continua após a publicidade

Publicidade