Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid-19: nova mutação da variante Delta atinge 11 países

Chamada Delta plus, a nova mutação da cepa descoberta pela primeira vez na Índia preocupa devido ao seu potencial de transmissão

Por Matheus Deccache Atualizado em 23 jun 2021, 19h28 - Publicado em 23 jun 2021, 17h19

O governo da Índia detectou nesta quarta-feira, 23, cerca de 40 casos de uma nova mutação da variante Delta, descoberta pela primeira vez em território indiano. Chama de Delta plus, a alteração já foi identificada em 11 países e liga o sinal de alerta em cientistas do mundo todo sobre uma maior capacidade de transmissão.  

A variante Delta foi descoberta no final de 2020, mas começou a chamar a atenção do mundo a partir de maio, quando um descontrole da pandemia na Índia fez com que novos casos da cepa disparassem. De lá para cá, 92 países já registraram casos da Delta devido à sua alta transmissibilidade, de acordo com a Organização da Saúde (OMS).  

Apesar dos números no território indiano estarem dando sinais de estabilização, o governo aconselhou os estados a aumentarem o número de testes para detectar a Delta plus. Citada pela primeira vez no dia 11 de junho no Reino Unido, a cepa adquiriu uma mutação da proteína spike chamada de K417N, que também é encontrada na variante Beta, descoberta pela primeira vez na África do Sul.  

LEIA TAMBÉM: Variantes do coronavírus: quem são e como se comportam

Segundo o governo indiano, essa mutação pode inibir a resposta imunológica no combate ao vírus, reduzindo a eficácia de possíveis tratamentos. Além dos 40 casos na Índia, cerca de 200 casos foram identificados em outros 10 países. São eles: Reino Unido, Canadá, Japão, Nepal, Polônia, Portugal, Rússia, Suíça, Turquia e Estados Unidos.  

Com o receio de que a Delta plus possa ser ainda mais transmissível que a Delta – que já é, por sua vez, uma variante com maior potencial de transmissão — o governo indiano reforçou para que os estados apliquem o máximo de testes possíveis para detectar a mutação de forma a evitar ao máximo a sua propagação.  

“Os secretários-chefes dos estados foram aconselhados a tomar medidas imediatas de contenção nos distritos em que os casos foram identificados, incluindo prevenção da formação de multidões, realização de testes generalizados, rastreamento imediato, bem como cobertura de vacinas em caráter prioritário”, informou o governo em comunicado.  

Apesar da variante Delta ser ainda mais transmissível, o governo indiano luta para agir rápido de forma a evitar que a Delta plus realize o mesmo caminho que a sua antecessora, que se desenvolveu rapidamente em estados com poucas testagens e poucas respostas de saúde pública.  

Desde o início da pandemia, mais de 179 milhões de casos do novo coronavírus foram registrados com um total de 3,89 milhões de mortes. Um dos países mais atingidos, a Índia registrou 30 milhões de casos e mais de 391 mil pessoas vieram a óbito.  

Continua após a publicidade
Publicidade