Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid-19: mortes no Brasil em idosos com 80 anos caem após vacinação

Entre final de janeiro e início de abril, país registrou queda de, em média, 21% nos óbitos e de 15% nos casos graves em pessoas deste grupo

Por Giulia Vidale 2 Maio 2021, 18h26

A campanha de vacinação contra a Covid-19 no Brasil teve início no dia 17 de janeiro. Profissionais de saúde e idosos com mais de 90 anos estavam entre os primeiros beneficiados. Pouco mais de três meses depois, a faixa etária de imunização está em torno dos 63 anos e a vacinação começa a apresentar sinais concretos de alento entre a geração mais antiga.

Em pessoas com idade entre 80 e 89 anos, as mortes pela Covid-19 caíram 16% entre a penúltima semana de janeiro, quando começou a imunização no país, e a primeira semana de abril.  Naqueles a partir de 90 anos, o resultado foi ainda mais expressivo: -26% no mesmo período.

Também houve queda nos casos graves registrados nessas faixas etárias: -13% entre pessoas de 80 a 89 anos e -17% naquelas com idade a partir de 90 anos. Por outro lado, para adultos de todas as outras idades, houve aumento no número de hospitalizações e óbitos no mesmo período, o que reforça ainda mais a tese de que a vacinação desempenhou um papel importante nessa tendência. O levantamento foi feito com base nos casos de internação e óbitos por Covid-19, obtidos pelo SivepGripe sobre as síndromes respiratórias agudas graves (srag) no país.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o número de idosos que morreram por causa de complicações da Covid-19 despencou 90% em comparação com o mês de março. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, a partir da segunda quinzena de fevereiro, cerca de 1 mês após o início da campanha de vacinação, houve redução na razão de taxas de incidência de srag por Covid-19 para idosos a partir de 85 anos. “Para essas faixas etárias, a taxa de incidência de SRAG por Covid-19 era cerca de 6 a 8 vezes maior que a taxa e incidência geral, e a partir da semana 07 cai para 4 vezes maior que a taxa de incidência geral”, disse em comunicado.

“Esse período coincide com as ações de vacinação para essas faixas etárias específicas, mas essa queda também pode estar relacionada a outros fatores, como adesão ao isolamento social e implementação de medidas de restrição de circulação no Estado e Município de São Paulo”, completa a prefeitura da capital paulista, em nota.

A notícia é boa, mas não podemos esquecer que, em pouco mais de um ano de pandemia, mais de 400.000 pessoas perderam a vida para a Covid-19. Continuamos registrando cerca de 2.400 mortes e mais de 56.000 casos diários. Pessoas completamente vacinadas ainda podem ser infectadas, transmitir a doença e até mesmo, desenvolver casos graves. Por isso, não há espaço para descuido ou relaxamento. É fundamental a manutenção de cuidados preventivos, como uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

Confira o avanço da vacinação no Brasil:

Continua após a publicidade
Publicidade