Clique e assine com até 92% de desconto

Coronavírus: remédio traz bons resultados iniciais, indica estudo

Pesquisa divulgada em jornal inglês testou o remdesivir em pacientes em estado grave

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h25 - Publicado em 11 abr 2020, 11h50

O uso do remédio remdesivir no tratamento de pacientes graves com Covid-19 mostra bons resultados em uma análise inicial, aponta estudo publicado no New England Journal of Medicine. Ao lado da cloroquina e da hidroxicloroquina, exaltados com frequência pelo presidente Jair Bolsonaro, o medicamento tem sido estudado como uma possível arma contra a ameaça.

Os pesquisadores acompanharam 53 pessoas, nos Estados Unidos, na Europa e no Canadá, hospitalizadas após crises respiratórias. Metade desse grupo já usava ventilação mecânica. Todos eles foram medicados com remdesivir, do laboratório Gilead Sciences, por dez dias. Após 18 dias, 68% dos pacientes tiveram melhora no estado de saúde; dezessete se livraram da ventilação mecânica. No total, 13% morreram.

  • “Não podemos tirar conclusões definitivas a partir dessas informações, mas a observação desse grupo de paciente nos deixa esperançosos”, afirma Jonathan Grein, diretor de centro de epidemiologia em Los Angeles, em nota divulgada pelo laboratório. A empresa providenciou o remédio e ajudou a analisar os resultados.

    Para cientistas, os resultados devem ser encarados com cautela. “Não é possível saber o que teria acontecido com os pacientes se eles não tivessem usado o remédio”, afirma Stephen Evans, professor de epidemiologia na London School of Hygiene & Tropical Medicine, ao site da Bloomberg.

    Outros estudos estão em curso para avaliar os benefícios do remdesivir no tratamento de Covid-19, doença que já matou 100 mil no mundo. O próprio laboratório patrocina dois deles. Ainda é preciso saber se o remédio é seguro e eficiente, por quanto tempo ele deve ser usado e em que estágio do tratamento deve ser aplicado.

    Em um tira-dúvidas, confira respostas para uso de cloraquina e outros medicamentos em testes contra a Covid-19.

    Continua após a publicidade
    Publicidade