Clique e assine com até 92% de desconto

Coronavírus: Governo de SP contrata 4.500 leitos de hospitais particulares

Medida tem a missão de desafogar o sistema público de saúde, que tem quase 88% das UTIs ocupadas na Grande São Paulo

Por Da Redação Atualizado em 20 Maio 2020, 14h08 - Publicado em 20 Maio 2020, 13h55

Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 20, que contratará 4.500 leitos hospitalares de instituições privadas para socorrer o sistema público de saúde e aumentar a capacidade de atendimento nos próximos dias. Destes, 1.500 leitos serão de UTI. Todos terão uso exclusivo para pacientes infectados com o novo coronavírus. Doria voltou a dizer que as medidas são tomadas para evitar o ‘lockdown’.

O investimento total para a medida é de 594 milhões de reais — 162 milhões de reais para os leitos clínicos e 432 milhões de reais para os leitos de UTI. Os equipamentos deverão entrar em uso em até 20 dias, em 15 de junho.

  • Outro acréscimo de leitos ocorrerá no Hospital das Clínicas, que aumentará sua capacidade de leitos em UTI para atendimento de pacientes com Covid-19, de 275 para 400 até o fim deste mês. A instituição dobrará o número de leitos cardiológicos para pacientes com Covid-19, passará de dez para vinte. A medida é um cuidado extra para cardiopatas acometidos pelo vírus e para pessoas que tenham complicações no coração por conta da doença.

    Também entrou na operação um novo hospital de campanha na região de Heliópolis, o quarto na cidade de São Paulo. São 200 leitos, sendo 24 deles para tratamento intensivo. No endereço funcionava um ambulatório público de especialidades que foi adaptado para receber os novos pacientes.

    Cloroquina

    Sobre as orientações acerca do uso de cloroquina por pacientes leves e intermediários publicadas nesta quarta-feira, 20, não causará alterações no uso do medicamento em São Paulo. Doria afirmou que não haverá distribuição generalizada do fármaco, a decisão de uso (ou não) permanecerá a cargo do médico e do paciente.

    ASSINE VEJA

    Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
    Clique e Assine

    Casos e mortes

    O Estado de São Paulo registrou 3.664 novos casos nas últimas 24 horas, totalizando 69.859 diagnósticos desde o início da pandemia. Em relação aos óbitos, houve um adendo de 216 registros em 24 horas, ao todo 5.363 paulistas foram vítimas fatais da doença. Atualmente 6.645 pessoas recebem tratamento em enfermarias e 4.169 em regime de terapia intensiva, neste grupo há pacientes com diagnóstico fechado e com suspeita de Covid-19.

    A taxa de ocupação em leitos de UTI para o Estado é de 71,7% e para a Grande SP chega a  87,9%. Foram 14.138 pacientes que receberam alta.

    Todas as cidades com mais de 15.000 habitantes no Estado de São Paulo têm casos de Covid-19. Ao todo, 478 (74%) das cidades paulistas já foram acometidas pelo vírus.

    Continua após a publicidade
    Publicidade