Clique e assine a partir de 9,90/mês

Doria prorroga a quarentena no estado de São Paulo até 14 de julho

Isolamento ocorrerá com restrição máxima em regiões do interior e terá regras mais brandas para a capital paulista

Por Da Redação - Atualizado em 26 Jun 2020, 16h02 - Publicado em 26 Jun 2020, 13h10

O governador João Doria  anunciou nesta sexta-feira, 26, a prorrogação da quarentena em todo o estado de São Paulo até o dia 14 de julho, trata-se da sexta rodada de isolamento social desde o início dos avanços de casos do novo coronavírus em São Paulo. 

A prorrogação ocorre dentro do chamado Plano São Paulo, que prevê regras mais duras de isolamento para áreas com altos índices de contágio, óbitos e internações, mas com restrições mais brandas para regiões onde há um maior controle da Covid-19.

LEIA TAMBÉM

O impacto do coronavírus no atendimento do câncer

Continua após a publicidade

Conforme antecipou VEJA, pela primeira vez desde março, a cidade de São Paulo está autorizada a reabrir bares, restaurantes, salões de cabeleireiro e barbearias. Há também autorização para que parte da Região Metropolitana faça o mesmo movimento.

A abertura desses estabelecimentos, no entanto, terá de esperar mais uma semana a pedido do Centro de Contingência do Coronavírus, a ideia é usar esse período entender se os indicadores da doença se manterão estáveis por mais uma semana. O retorno das atividades está previsto para 6 de julho, conforme pontuou o prefeito da cidade, Bruno Covas.

ASSINE VEJA

Wassef: ‘Fiz para proteger o presidente’ Leia nesta edição: entrevista exclusiva com o advogado que escondeu Fabrício Queiroz, a estabilização no número de mortes por Covid-19 no Brasil e os novos caminhos para a educação
Clique e Assine

Por outro lado, o interior do estado teve pioras em seus indicadores e passará, pelo menos, os próximos 15 dias no tipo mais fechado de isolamento, apenas com operação de serviços essenciais. Têm os indicadores que apontam comprometimento as regiões de Araçatuba, Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba, Registro, Ribeirão Preto e Franca.  A baixada Santista está em nível intermediário, com o funcionamento de shoppings e escritórios. O mesmo ocorre com Barretos, São José do Rio Preto, Taubaté, Piracicaba, entre outros.

Outro anúncio desta sexta-feira foi o fechamento do Hospital de Campanha do Pacaembu na próxima semana, como VEJA antecipou. O encerramento das atividades está previsto para ocorrer na próxima segunda-feira, 29. Equipamentos como oxímetros, ventiladores mecânicos, desfibriladores, camas de UTI, entre outros, serão doados pela organização social responsável pela gestão do hospital ao município.

Continua após a publicidade

Dados da pandemia

Nas últimas 24 horas, o estado registrou 9.921 diagnósticos positivos em 24 horas, o segundo maior registro em um dia de pandemia perdendo apenas para a última sexta, quando um problema no sistema do SUS causou o acúmulo de notificações de diversos dias em uma única data. De acordo com o boletim diário, também foram registradas 207 mortes.

Há ainda 5.666 pessoas internadas em UTI e mais 8.274 em enfermarias. Esses dados referem-se a casos suspeitos e confirmados de Covid-19. A ocupação de leitos no Estado está em 65,4% enquanto na Grande São Paulo os dados a média é de 67,7%.

Publicidade