Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Coronavírus: Brasil ultrapassa Estados Unidos em número de mortes diárias

Número de registros foi superado na última segunda-feira, 25; EUA figuram como o país mais afetado pela doença até agora

Por Da Redação Atualizado em 26 Maio 2020, 17h00 - Publicado em 26 Maio 2020, 15h54

Brasil ultrapassou nesta segunda-feira, 25, os Estados Unidos em número de mortes diárias por Covid-19. De acordo com o levantamento do Ministério da Saúde, o país registrou 807 novos óbitos na data de ontem, já os EUA ficaram na marca dos 620 pacientes fatais nas últimas 24 horas segundo o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano.

A ultrapassagem de registros ocorre justamente no início de uma semana, quando normalmente as notificações de óbitos e casos brasileiros estão abaixo da média a ser atingida durante a semana. Isso porque há uma forte subnotificação durante o sábado e o domingo.

LEIA TAMBÉM: O que sabemos sobre a bebida de Madagascar que trataria o coronavírus

Os Estados Unidos figuram como o país com maior impacto da Covid-19 até agora. São 98.426 mortes e mais 1,6 milhão de casos. O Brasil, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins, ocupa a sexta posição em óbitos e segundo maior patamar de registros de casos confirmados da doença. São 374.898 casos e 23.473 mortes.

Novo epicentro

Na última sexta-feira, 21 a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a América do Sul se tornou um novo epicentro da pandemia de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, sendo o Brasil o país mais afetado da região. A entidade advertiu o governo brasileiro por ter autorizado o uso da cloroquina no tratamento de pacientes.

ASSINE VEJA

Coronavírus: ninguém está imune Como a pandemia afeta crianças e adolescentes, a delação que ameaça Witzel e mais. Leia na edição da semana
Clique e Assine

“A América do Sul se tornou um novo epicentro da doença”, afirmou Ryan. “Também notamos que o Brasil aprovou a expansão do uso da cloroquina, mas nós atentamos ao fato de que há revisões sistemáticas feitas pela Organização Pan-americana de Saúde que dizem não haver evidência clínica para aprova o uso da cloroquina como tratamento para a Covid-19, não até os testes terem sido finalizados e obtivermos resultados claros”, disse.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês