Clique e assine com até 92% de desconto

Coronavírus: Brasil tem novo recorde de casos em um único dia, 3058

Balanço do Ministério da Saúde afirma que país teve 204 óbitos pela doença nas últimas 24 horas

Por Da Redação Atualizado em 16 abr 2020, 10h51 - Publicado em 15 abr 2020, 17h17

Ministério da Saúde atualizou nesta quarta-feira, 15, os números para 1.736 óbitos e 29.320 casos confirmados na pandemia do coronavírus no país. Trata-se de um recorde de novos infectados em um único dia, 3058.

Pelo segundo dia consecutivo, o país registrou 204 novos óbitos em decorrência de Covid-19, um crescimento de 13% em relação ao balanço anterior que apontava para 1.532 mortes. O número de casos confirmados cresceu 12% comparado à última terça-feira, 14, quando estava na monta dos 25.262 diagnósticos.

A taxa de mortalidade manteve-se em 6,1%. O estado na dianteira de infectados é São Paulo, com 11 043. Outro destaque é o estado do Tocantins, que registrou o primeiro óbito nas últimas 24 horas.

A entrevista coletiva contou com a participação de Wanderson Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde, que havia pedido demissão na manhã desta quarta-feira, 15, mas segue no cargo, de acordo com Luiz Henrique Mandetta, o ministro da Saúde, na coletiva.

  • ASSINE VEJA

    O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
    Clique e Assine

    Demissão negada

    Na reunião, foi confirmado que o secretário de Vigilância e Saúde, Wanderson Oliveira, chegou a entregar uma carta de demissão a Mandetta. O ministro, no entanto, informou que mandou o documento de volta e que, caso houvesse baixas no time, sairiam todos juntos. “Não somos insubstituíveis”, garantiu. Mandetta, inclusive, reafirmou a confiança no trabalho do profissional. Ele revelou que chegou a recusar, em diversas ocasiões, pedidos de que Wanderson e outros de seus secretários técnicos do grupo fossem desligados por motivos internos diversos. Outro deles seria João Gabbardo, secretário-executivo da pasta.

    Gabbardo, vale dizer, chegou a ser um nome dito como cotado ao Ministério. Em desacordo com a informação, ele afirmou que o dia em que Mandetta sair o acompanhará: “Saio com ele”. “Mês que vem eu completo 40 anos de Ministério da Saúde, não vou jogar no lixo esse meu patrimônio”, afirmou. Gabbardo garantiu que, caso Mandetta caia, ficará na equipe de Saúde apenas o suficiente para realizar a transição para a nova equipe.

    LEIA TAMBÉM:
    O que os gatos têm realmente a ver com o coronavírus?

    Recebimento de equipamentos

    O Ministério informou que 159 respiradores e mais 300.000 máscaras do tipo N95 chegaram ao Aeroporto de Guarulhos nesta quarta-feira, 15. O carregamento foi doado por uma empresa de celulose e papel. Uma empresa de varejo custeará o transporte de 15 milhões de unidades de máscaras cirúrgicas. O frete demandará quarenta voos para transportar toda a quantidade.

    Continua após a publicidade
    Publicidade