Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Coreia do Sul registra mais duas mortes por vírus MERS

No total, a síndrome já causou 27 óbitos e infectou 172 pessoas. A Tailândia, que relatou o primeiro caso na semana passada, disse que não foram registrados novos doentes

Por Da Redação - 22 jun 2015, 14h39

O Ministério da Saúde da Coreia do Sul registrou nesta segunda-feira mais duas mortes pelo surto de Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), que a Organização Mundial da Saúde disse ser “grande e complexo”, elevando para 27 o número de mortes no país.

A Tailândia, que relatou o primeiro caso na semana passada, disse que não foram registrados novos doentes, aumentando as esperanças de que o vírus tenha sido contido. A vizinha Malásia anunciou que intensificou o rastreamento sanitário em todos os pontos de entrada no país.

LEIA TAMBÉM:

Coreia do Sul registra três novos casos do vírus MERS

Publicidade

OMS alerta para epidemia do vírus MERS

O surto na Coreia do Sul foi atribuído a um homem de 68 anos que retornou de uma viagem ao Oriente Médio no início de maio e procurou ajuda médica em diferentes hospitais antes de ser diagnosticado com o vírus da Mers. O ministério da Saúde em Seul confirmou três novos casos, elevando o total para 172 em um surto que é o maior fora da Arábia Saudita, mas mostra sinais de desaceleração em razão do amplo alcance das medidas de controle.

A MERS foi identificada pela primeira vez em humanos na Arábia Saudita em 2012 e a maioria dos casos foi registrada no Oriente Médio. O vírus é considerado um “primo”, mais mortal, mas menos contagioso, do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) que, em 2008, fez cerca de 800 mortos em todo o mundo. Como o Sars, provoca infecção pulmonar e os afetados sofrem febre, tosse e dificuldades respiratórias, não havendo, por enquanto, tratamento preventivo para a doença. De acordo com a OMS, o vírus apresenta uma taxa de mortalidade de quase 35%.

(com agência Reuters)

Publicidade