Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Consumo de bebidas açucaradas aumenta gordura visceral

Segundo um novo estudo, adultos que consomem refrigerantes ou sucos com açúcar todos os dias têm mais gordura visceral -- associada ao desenvolvimento de diabetes tipo 2 e de doenças cardíacas

Por Da Redação 12 jan 2016, 17h12

Uma nova pesquisa publicada na revista científica Circulation, da Associação Americana do Coração, revelou que o consumo diário de bebidas açucaradas pode aumentar os níveis de gordura visceral no corpo. Para chegar aos resultados, os pesquisadores utilizaram informações coletadas pelo Framingham Heart Study, uma das mais importantes pesquisas já construídas no campo da saúde, realizada desde 1948.

Ao todo, 1003 adultos com idade média de 43 anos responderam a um questionário sobre hábitos alimentares e se submeteram a tomografias computadorizadas ao início e ao final do experimento – que teve uma duração total de seis anos. O objetivo do exame era avaliar as mudanças dos níveis de gordura corporal dos participantes ao longo do tempo.

Leia também:

Pessoas que bebem refrigerante diet consomem mais calorias nas refeições

Consumo de bebidas açucaradas pode causar 180 000 mortes por ano

Os participantes foram divididos em quatro categorias em relação ao consumo de bebidas açucaradas, desde os que não consomem nenhum tipo da bebida até os que bebem diariamente. Os resultados mostraram que, independentemente de fatores como idade e prática de exercícios físicos, o volume de gordura visceral dos adultos que consomem a bebida açucarada diariamente aumentou 852 centímetros cúbicos. Em comparação, aqueles que afirmaram não consumir a bebida tiveram um aumento de 658 centímetros cúbicos.

Ao contrário da gordura subcutânea, que se acumula logo abaixo da pele, a gordura visceral se fixa no interior da cavidade abdominal, em volta de órgãos internos de extrema importância, como fígado, pâncreas e intestino. Ela pode, inclusive, afetar o funcionamento dos hormônios. Acredita-se que esse tipo de gordura tenha grande influência na resistência à insulina, o que pode causar diabetes tipo 2. Além disso, ela também está associada ao desenvolvimento de problemas cardíacos.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês