Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Comissão Europeia autoriza uso da vacina de Oxford na região

Liberação permite que os países da União Europeia comecem a aplicar as doses da vacina

Por Giulia Vidale Atualizado em 29 jan 2021, 19h12 - Publicado em 29 jan 2021, 15h48

A Comissão Europeia autorizou nesta sexta-feira, 29, o uso da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela parceria Oxford-AstraZeneca em países do bloco. O aval acontece horas depois da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês), ter liberado seu uso em pessoas a partir de 18 anos, sem limite de idade.

A decisão foi tomada em um momento crítico, em que os países da região enfrentam um aumento considerável nos casos da doença, e que há um impasse com a AstraZeneca pela disponibilização das doses adquiridas.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, publicou a notícia em sua conta no Twitter e aproveitou para dar um recado à farmacêutica: “Acabamos de autorizar a vacina da AstraZeneca no mercado da UE após uma avaliação positiva pela EMA. Espero que a empresa entregue 400 milhões de doses conforme combinado. Continuaremos fazendo todo o possível para garantir vacinas para os europeus, nossos vizinhos e parceiros em todo o mundo”.

Pelo contrato firmado com o bloco em 27 de agosto de 2020, a AstraZeneca deverá entregar 400 milhões de doses ao longo deste ano. O laboratório disse recentemente só ser capaz de produzir 25% do prometido para os europeus até março, o que gerou conflito com a Comissão Europeia. Nesta sexta-feira, 29, o CEO da AstraZeneca, Pascal Soriot, disse que falhas e atrasos na fabricação das vacinas são inevitáveis ​​devido à velocidade de seu desenvolvimento.

LEIA TAMBÉM: Covid-19: o que é a eficácia global de uma vacina e quais os outros tipos?

Como aconteceu com a vacina da Pfizer e da Moderna, já aprovadas  pelo bloco, cada um dos 27 membros da União Europeia será responsável por aplicar a vacina em seu território. A Alemanha, por exemplo, anunciou que não aplicará a vacina em idosos a partir de 65 anos. Para as autoridades e saúde do país, faltam evidências sobre a eficácia neste público. A AstraZeneca afirma que apesar da falta de dados específicos, a vacina é segura e induz a produção de anticorpos em idosos desta faixa etária.

A EMA, agência que regula medicamentos na União Europeia, concordou com a AstraZeneca e autorizou o uso do imunizante em adultos a partir de 18 anos, sem limite de idade.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês