Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Combinação de medicamentos é tratamento promissor para Covid-19

Estudo publicado na New England Journal of Medicine mostrou que a combinação de baricitinibe e remdesivir reduziu o tempo de hospitalização

Por Giulia Vidale Atualizado em 14 dez 2020, 07h42 - Publicado em 11 dez 2020, 19h30

Um estudo publicado nesta sexta-feira, 11, no New England Journal of Medicine mostrou a eficácia de um novo tratamento contra a Covid-19. De acordo com a pesquisa, liderada pelo infectologista brasileiro André Kalil, 55 anos, do Centro Médico da Universidade do Nebraska, nos Estados Unidos, a combinação do anti-inflamatório baricitinibe com o antiviral remdesivir reduziu o tempo de recuperação de pacientes hospitalizados com Covid-19.

O estudo começou em 8 de maio e envolveu 1.033 pacientes de oito países. Os participantes foram divididos em dois grupos: um recebeu a combinação de baricitinibe e remdesivir e o outro remdesivir e placebo. Os resultados mostraram que aqueles que receberam a combinação de medicamentos se recuperaram em uma média de sete dias, em comparação com oito dias para os 518 pacientes que receberam apenas o remdesivir.

Pessoas tratadas com ambos os medicamentos também tiveram menos eventos adversos graves, além de uma probabilidade 30% maior de apresentar melhora do estado de saúde após duas semanas e um redução no risco de morte nas primeiras quatro semanas após o início do tratamento.

De acordo com os pesquisadores, os pacientes que necessitaram de oxigenação extra durante sua hospitalização pareceram ter tido o maior benefício: o tempo médio de recuperação foi reduzido de 18 dias para dez dias.

Casos graves de Covid-19 estão associados a uma resposta inflamatória desregulada do corpo. Especula-se que atenuar a resposta imune e prevenir um estado hiperinflamatório pode melhorar os resultados clínicos e é exatamente nessa frente que o baricitinibe atua. Enquanto o remdesivir age diretamente no vírus, impedindo que ele se replique no organismo, o baricitinibe controla a inflamação, o que parece contribuir para uma recuperação mais rápida.

Os pesquisadores alertam que não é possível comparar este tratamento com outras opções, como o uso de corticoides. Para isso, são necessários novos estudos. Mas ressaltam que “esses resultados parecem mostrar que o baricitinibe com remdesivir podem beneficiar alguns pacientes com Covid-19 e a combinação merece mais estudos clínicos”.

Continua após a publicidade
Publicidade