Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cigarro com baixo teor de nicotina não eleva a vontade de fumar, diz estudo

Pesquisa constatou que pessoas não aumentaram frequência do tabagismo depois de passar a fumar cigarros com menos nicotina

Cigarros com níveis reduzidos de nicotina não fazem com que os fumantes fumem mais, segundo um estudo publicado nesta sexta-feira no periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Reduced Nicotine Cigarettes: Smoking Behavior and Biomarkers of Exposure among Smokers Not Intending to Quit​

Onde foi divulgada: periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention.

Quem fez: David Hammond e Richard J. O’Connor

Instituição: Universidade de Waterloo, no Canadá​

Resultado: Reduzir a quantidade de nicotina dos cigarros não faz com que os tabagistas fumem mais cigarros para saciar o vício em nicotina.

A pesquisa contou com a participação de 72 adultos fumantes com idades entre 18 e 65 anos. Na primeira semana do estudo, os voluntários fumaram cigarros com 1,2 mg de nicotina. Nas três semanas seguintes, a quantidade da substância diminuiu progressivamente: 0,6 mg, 0,3 mg e 0,05 mg. A cada sete dias, eram recolhidas amostras de urina e realizados testes de “bafômetro”, em que se media o nível de monóxido de carbono no indivíduo.

Durante o estudo, o número de tragos e de cigarros consumidos pelos participantes não mudou. Também não se alteraram os níveis de monóxido de carbono e de 1-hidroxipireno – composto presente no cigarro que pode causar câncer.

Leia também:

Fumar na gravidez eleva risco de bebê ter déficit de atenção

Anvisa quer padronizar embalagens de cigarro

Lei – Nos Estados Unidos, a Lei do Tabaco de 2009 determinou que o teor de nicotina dos cigarros fosse reduzido a quantidades insignificantes. “Acreditava-se que, depois dessa lei, os tabagistas fumariam mais para saciar a vontade de nicotina”, diz o coautor do estudo, David Hammond, professor na Faculdade de Saúde Pública e de Sistema de Saúde da Universidade de Waterloo, no Canadá. “O estudo sugere que isso pode não ser verdade.” Segundo ele, a pesquisa “pode ajudar as entidades reguladoras a antecipar as possíveis consequências da redução da nicotina nos cigarros”.