Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Cientistas descobrem como a variante ômicron se liga às células humanas

Estudo da UBC mostra ainda que a nova cepa tem maior escape de anticorpos do sistema imunológico natural dos que os produzidos pela vacina

Por Simone Blanes 24 jan 2022, 17h11

Pela primeira vez, cientistas descobriram como a variante ômicron se liga às células humanas através da spike – proteína que o coronavírus utiliza para invadí-las. Por meio da primeira análise estrutural em nível molecular do mundo, pesquisadores da faculdade de medicina da Universidade Columbia Britânica (UBC), no Canadá chegaram à descoberta publicada nesta segunda-feira, 24, na revista Science. “Compreender a estrutura molecular da proteína no pico viral é importante, pois nos permitirá desenvolver tratamentos mais eficazes contra a ômicron e variantes relacionadas no futuro”, disse Sriram Subramaniam, professor de bioquímica e biologia molecular da UBC e principal autor do estudo. “Ao analisar os mecanismos pelos quais o vírus infecta as células humanas, podemos desenvolver melhores tratamentos que interrompem esse processo e neutralizam o vírus”, acrescentou.

A análise estrutural revelou que várias mutações da ômicron criam pontes salinas e ligações de hidrogênio da proteína spike com o receptor celular humano conhecido como ACE2. Os pesquisadores concluíram que essas novas associações parecem aumentar a afinidade de ligação e a força com que o vírus se liga às células humanas. “No geral, os resultados mostram que ômicron tem maior afinidade de ligação do que o vírus original, com níveis mais comparáveis ​​aos que vemos com a variante delta”, explica Subramaniam.

No estudo, os pesquisadores também revelaram que a ômicron tem maior escape de anticorpos do sistema imunológico natural dos que os produzidos pela vacina.  “A ômicron foi menos evasiva da imunidade criada pelas vacinas, em comparação com a imunidade da infecção natural em pacientes não vacinados. Isso confirma que a vacinação continua sendo nossa melhor defesa”, afirma Subramaniam.

Vacinação no Brasil

O Brasil chegou a 352.936.974 doses de vacinas aplicadas até este domingo, 23. De acordo com dados do Ministério da Saúde, das secretarias estaduais de saúde e do site Coronavírus Brasil, 70,7% da população está completamente imunizada. Além disso, 41.267.776 doses de reforço foram aplicadas na população elegível: adultos que já tomaram a segunda dose há quatro meses ou mais. Para que estes números fossem alcançados, já foram distribuídas mais de 381,2 milhões de doses aos estados.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês