Clique e assine a partir de 8,90/mês

Chocolate amargo pode ajudar diabéticos a controlar o colesterol, diz pesquisa

Substâncias presentes no alimento reduzem os níveis de colesterol ”ruim” e aumentam o colesterol “bom”

Por Da Redação - 18 out 2010, 11h41

O chocolate amargo (com alta concentração de cacau) faz bem ou mal à saúde? Entre as dezenas de pesquisas contraditórias sobre seus efeitos, uma última mostra que o alimento, rico em polifenóis (substâncias que estão se mostrando, em várias pesquisas, extremamente benéficas), pode ajudar diabéticos a controlar os níveis de colesterol. O estudo, liderado pela Hull University, foi publicado na última edição do jornal Diabetic Medicine.

Durante a pesquisa, um grupo de 12 voluntários com diabetes tipo 2 recebeu barras de chocolate diariamente – algumas enriquecidas com polifenóis, outras não. Aqueles que ingeriram as barras enriquecidas apresentaram uma pequena queda nas taxas de colesterol (LDL) e um aumento no nível do colesterol considerado bom (HDL). “Essa qualidade de chocolate deveria ser incluída na dieta, para uma melhora na qualidade de vida do paciente”, diz Steve Atkin, um dos coordenadores da pesquisa. “Luz verde” – As críticas ao estudo, no entanto, afirmam que os benefícios são muito pequenos quando comparados aos riscos que a quantidade de gordura e de açúcar presentes no chocolate podem representar ao diabético. “O formato do estudo é, de certa forma, irrealista, já que os participantes consumiram apenas metade de uma barra por apenas oito dias”, diz Iain Frame, médico diretor de uma instituição britânica para diabéticos. Os especialistas do órgão alertam ainda que o estudo de Atkin pode ser um risco, se for visto como uma “luz verde” para os diabéticos comerem mais chocolate. Os polifenóis também estão presentes em uvas, por exemplo. Por isso, várias pesquisas já indicaram que o vinho pode ser benéfico à saúde se consumido moderadamente.

Publicidade