Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Casos de malária caem 50% no Brasil entre 2000 e 2009

No resto do mundo, a redução no número de mortes confirmadas foi de mais de 25% entre 2000 e 2009

Por Da Redação 13 dez 2011, 14h40

Relatório divulgado nesta terça-feira pela Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que os índices de mortalidade por malária caíram em mais de 25% no mundo, desde 2000. No Brasil, o número total de casos confirmados teve uma redução de mais de 50%, entre 2000 e 2009. Segundo a OMS, a redução dos casos e da mortalidade é resultado de intensos programas de prevenção e controle, com o uso generalizado de mosquiteiros e maior disponibilidade de medicamentos. Mas, ainda assim, estima-se que 655.000 pessoas morreram em 2010 por causa da doença.

De acordo com o relatório, na década passada a incidência de malária e os índices de mortalidade foram reduzidos em todas as regiões do mundo. Em 2010, havia cerca de 216 milhões de casos em 106 países e territórios endêmicos. Estima-se que 81% desses casos e 91% das mortes aconteceram na África. No mundo, 86% das vítimas eram crianças menores de cinco anos de idade.

Estimativas da organização apontam para 655.000 mortes em 2010, uma redução de 36.000 casos em relação ao ano anterior. Enquanto o decréscimo anual de 5% representa um progresso significativo, as taxas de mortalidade ainda prevalecem altas para uma doença que pode ser prevenida e mesmo tratada. “Uma criança morre a cada minuto de malária na África”, diz Raymond G. Chambers, secretário para malária das Nações Unidas. “É um número extremamente alto.”

Prevenção – De acordo com o relatório, o número de mosquiteiros distribuídos nos países da África Subsaariana saltou de 88,5 milhões, em 2009, para 145 milhões, em 2010. Cerca de 50% dos domicílios da região têm ao menos uma rede, e 96% das pessoas que têm acesso a esses mosquiteiros os usam.

O número de testes rápidos para o diagnóstico da doença também aumentou: de 45 milhões, em 2008, para 88 milhões, em 2010. Os medicamentos para o tratamento distribuídos no mundo passaram de 11 milhões em 2005 para 181 milhões em 2010.

Brasil – Dados do Ministério da Saúde apontam que o número de casos confirmados no país passou de 615.000, em 2000, para 306.000, em 2010 – o que corrobora o levantamento da OMS. Atualmente, cerca de 49 milhões de pessoas vivem em áreas de risco de contaminação pela malária no país. Para reforçar a mobilização contra a malária nos 47 municípios mais vulneráveis à doença, o ministério irá repassar uma verba de 15 milhões de reais. Os recursos vão ser direcionados para a instalação de aproximadamente um milhão de mosquiteiros impregnados com inseticidas.

Continua após a publicidade
Publicidade