Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Câncer: pacientes em tratamento devem se exercitar, diz diretriz médica

A recomendação dos especialistas americanos é praticar exercícios aeróbicos e levantamento de peso pelo menos três vezes por semana

A prática de exercícios físicos é sempre recomendada como forma de manter uma boa saúde. Isso também vale para pacientes em recuperação do câncer, que devem se exercitar pelo menos três vezes por semana, segundo nova diretriz médica emitida pelo Escola Americana de Medicina Esportiva.

O documento, feito em colaboração com a Sociedade Americana de Câncer e 15 outras instituições internacionais, ainda revelou que pessoas fisicamente ativas tem até 69% menos risco de serem diagnosticadas com a doença em comparação com indivíduos sedentários.

O trabalho, baseado na revisão de diversos estudos recentes, mostrou também que a atividade física pode reduzir a probabilidade de desenvolver sete tipos de tumores malignos: câncer de cólon, mama, endometrial, rim, bexiga, esôfago e estômago. Os resultados foram publicados simultaneamente nos periódicos Medicine & Science in Sports & Exercise e CA: A Cancer Journal for Clinicians

Essa diretriz ajuda a esclarecer muitas dúvidas sobre a relação entre o exercício e o câncer. Isso porque, apesar de ajudar na manutenção de um estilo de vida mais saudável, pela situação debilitante em que ficam os pacientes, algumas pessoas — especialmente familiares — temem que fazer atividade física possa piorar a condição dos pacientes. Os novos estudos mostram que não há motivo para preocupação desde que o exercício seja feito adequadamente e com acompanhamento de especialistas.

Veja também

Os benefícios

Os pesquisadores envolvidos na elaboração das novas recomendações indicam que a atividade física é capaz de mudar a trajetória do câncer em fase inicial. Em experimentos realizados em animais, o exercício alterou o ambiente molecular ao redor de alguns tumores, adiando ou até mesmo interrompendo seu crescimento.

Outra pesquisa em humanos mostrou que se exercitar durante e após o tratamento está associado a maiores taxas de sobrevida. Além disso, a prática pode diminuir sentimentos de ansiedade e/ou depressão dos pacientes, combatendo também a fadiga ocasionada pelo tratamento medicamentoso.

A equipe descobriu também que o exercício não aumenta a probabilidade dos pacientes com câncer — especialmente mulheres com tumores mamários — desenvolverem linfedema (inchaço nos braços) ou retenção de líquidos. 

Quais exercícios fazer?

Com base nos resultados obtidos, os pesquisadores concluíram que o exercício deve fazer parte do tratamento padrão para pacientes com câncer. A orientação é que se pratique exercícios aeróbicos de intensidade moderada por 30 minutos pelo menos três vezes por semana (não mais que isso). As atividades aeróbicas incluem: caminhar, andar de bicicleta, nadar e dançar, por exemplo. Os especialistas também recomendam o levantamento de peso em dois dias da semana.

“É simples e essencial. Levante-se e comece a se mexer”, concluiu Kathryn Schmitz, da Penn State University, nos Estados Unidos, ao The New York Times.