Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Câncer no pâncreas também pode ser fruto do álcool

Consumo exagerado de bebida aumenta risco de desenvolvimento do tumor

Por Da Redação 16 mar 2011, 15h07

Consumir três ou mais doses de bebidas com alta concentração alcoólica por dia pode aumentar em até 36% o risco de vida devido ao câncer no pâncreas. Segundo pesquisa coordenada pela Sociedade Americana de Câncer e publicada no periódico Archives of Internal Medicine, ainda não é possível precisar se há diferenças entre bebidas destiladas e fermentadas, mas cerveja e vinho não foram relacionados ao desenvolvimento da doença.

Para chegar às conclusões, a equipe coordenada por Susan Gapstur, vice-presidente de epidemiologia da Sociedade Americana de Câncer, analisou dados colhidos desde 1982 em mais de um milhão de voluntários – dos quais 400.000 nunca haviam fumado. Os participantes tiveram de preencher um questionário informando seus hábitos etílicos.

A pesquisa aponta que o próximo passo é distinguir o que de fato acarreta o desenvolvimento do tumor: o consumo exagerado ou o tipo da bebida ingerida. Uma das hipóteses levantas por Susan é que o consumo exagerado (seja na concentração ou na quantidade ingerida) amplie os riscos e introduza inflamações no pâncreas – estas, por sua vez, resultariam no câncer.

“É importante lembrar que o álcool, além de poder desencadear esse tipo de câncer, tem potencial para levar a outras doenças, como as cardiovasculares. Por isso, seu consumo não pode ser indiscriminado”, disse Gapstur à agência de notícias Reuters.

Estudos anteriores já haviam confirmado que o cigarro e a obesidade favorecem o aparecimento do câncer no pâncreas. A ação do álcool, entretanto, não era consenso entre os especialistas.

(Com Agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade