Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Butantan pede autorização para início dos testes em humanos da Butanvac

Pela primeira vez em dois meses, SP apresenta queda na curva de mortes, com redução de 23% na última semana

Por Giulia Vidale Atualizado em 23 abr 2021, 19h38 - Publicado em 23 abr 2021, 13h29

O Instituto Butantan solicitou à Anvisa nesta sexta-feira, 23, autorização para início dos testes clínicos em humanos da Butanvac, nova vacina contra o coronavírus em desenvolvimento no país.

“Hoje nós submetemos o protocolo de estudo clínico de fase 1 e 2 […] e esperamos que isso [a autorização] ocorra dentro do mais curto espaço de tempo possível dado a urgência do momento”, disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, em coletiva de imprensa realizada nesta sexta.

Essa fase inicial de estudos busca avaliar a segurança da vacina e sua capacidade de induzir uma resposta imunológica. O estudo tem duração de vinte semanas, mas, segundo Dimas Covas, a partir da 16ª ou 17ª semana já é possível ter resultados preliminares e, se positivos, solicitar o uso emergencial do imunizante à Anvisa.

LEIA TAMBÉM: Conheça o coquetel de anticorpos contra a Covid-19 aprovado no Brasil

A vacina, que será integralmente produzida no país, sem depender da importação de matéria-prima, será fabricada na mesma unidade que produz o imunizante contra gripe. Segundo Covas, as vacinas contra gripe estão prontas e a fábrica já está liberada para início da produção da Butanvac.

“Vamos iniciar essa produção brevemente e esperamos ter até o mês de junho, julho, no mais tardar, pelo menos 40 milhões de doses dessa vacina que ficara aguardando o resultado do estudo clinico”, afirma o diretor do Butantan.

Continua após a publicidade

Melhora nos índices da pandemia em SP

O governo do estado de São Paulo anunciou mais uma semana de melhora nos indicadores da pandemia. Pela primeira vez em oito semanas, houve redução no número de óbitos e dos três indicadores – casos, mortes e internações – simultaneamente.

“A boa notícia é que pela primeira vez, em dois meses, nós temos uma redução concomitante dos três índices: casos, internações e óbitos”, disse o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn. Nesta semana, houve queda de 14,3% no número de novos casos, de 6% nas internações e de 23,6% nos óbitos, em comparação com a semana anterior.

“É importante lembrar que há quatro semanas já vinhamos apresentando queda das internações e é a nossa primeira vez nesse período com a queda de óbitos. Deixando muito claro que o óbito vai ser algo visto mais tardiamente na pandemia”, ressalta Gorinchteyn.

A taxa de ocupação das unidades de terapia intensiva no estado é de 81,1%e de 79,2% na grande São Paulo. No início do mês, em 1º de abril, o índice no estado era de 92,3%.

Diante da melhora dos índices, São Paulo iniciou uma fase de transição entre a vermelha, onde apenas serviços essenciais podem funcionar, e a laranja, que permite o funcionamento de outros setores. Desde o último domingo, 18, lojas e shoppings puderam voltar a abrir das 11h às 19h. A partir de sábado, 24, é a vez do setor de serviços, o que inclui cabeleireiros, restaurantes e academias.

Nesta sexta-feira, 23, o estado de São Paulo expandiu a campanha de vacinação contra a Covid-19 para idosos de 64 anos. A partir do dia 29 é a vez de pessoas de 63 anos e a expectativa é que idosos de 60, 61 e 62 anos sejam incluídos no dia 6 de maio.

Continua após a publicidade
Publicidade