Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil registra o 2º caso de febre do Nilo Ocidental, ambos no Piauí

A doença, transmitida por mosquitos, é assintomática para a maioria dos infectados, mas em casos mais graves pode atacar o sistema nervoso

A Secretaria de Estado do Piauí confirmou o segundo caso da doença neurológica pelo vírus da febre do Nilo Ocidental no Brasil. Trata-se de uma jovem que vive na zona rural de Picos, que foi infectada em 2017. Exames foram coletados à época mas, de acordo com a secretaria estadual, somente neste ano o Ministério da Saúde liberou resultados, confirmando a doença.

O primeiro caso de febre do Nilo Ocidental no país também ocorreu no Piauí, no ano de 2014. De acordo com a secretaria, há ainda outros 32 casos humanos que tiveram resultado “indeterminado” no Estado.

A febre do Nilo Ocidental pode ser transmitida ao homem através da picada de mosquitos infectados com o vírus a partir de aves silvestres infectadas. Um dos principais vetores é o pernilongo. Assim como dengue e zika, a doença não é transmitida de uma pessoa para outra. É preciso que a picada do mosquito infectado para contrair a doença

A maior parte dos pacientes não apresenta sintomas. Em casos raros, a infecção atinge o sistema nervoso. Quando isso acontece, o paciente tem febre alta, rigidez na nuca, fraqueza e paralisia. Há ainda risco de encefalite.

Desde que o primeiro caso da doença foi identificado no Estado, o Piauí monitora os casos de doença neurológicas. Casos suspeitos da doença são testados tanto na rede pública quanto na rede privada.

(Com Estadão Conteúdo)