Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Autoridades divulgam 1ª morte por misterioso caso de pneumonia na China

A doença pode ser de uma nova cepa da família da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) que matou centenas de pessoas há uma década.

Por Da Redação - Atualizado em 11 jan 2020, 14h23 - Publicado em 11 jan 2020, 14h18

As autoridades da área de saúde da China anunciaram hoje a primeira morte causada por misteriosa pneumonia. A vítima é um homem de 61 anos. Segundo a Comissão de Saúde de Wuhan, ele havia comprado alimentos em um mercado de frutos do mar da cidade, identificado pelas autoridades como o foco do surto e fechado desde 1º de janeiro. O homem, que sofria de doença hepática crônica, morreu no hospital na quinta-feira por “insuficiência respiratória e pneumonia grave”, informou a comissão.

Gravíssima, a doença pode ser de uma nova cepa da família da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que matou centenas de pessoas há uma década.

Pelo menos 41 pessoas com sintomas parecidos com os da pneumonia foram diagnosticadas até o momento. O surto gerou alarme justamente devido ao vínculo com a SARS, que vitimou 349 pessoas na China continental e outras 299 em Hong Kong no passado.

Cientistas do Departamento de Saúde de Hong Kong disseram neste sábado que a sequência genética do vírus encontrada em um dos pacientes de Wuham tem 80% de semelhança com a SARS encontrada em morcegos.

Publicidade

“Precisamos estar alertas, pois acreditamos que a epidemia continuará a se desenvolver”, disse Wong Ka-hing, diretor do Departamento de Centro de Proteção da Saúde.

As autoridades de Hong Kong adotaram uma série de medidas preventivas, como aumentar a desinfecção de trens e aviões e verificação de passageiros.

O surto coincide com a temporada de viagens na China por conta das festas do Ano Novo Lunar, período em que milhões de chineses voltam para casa para passar as festas em família, um movimento migratório que pode ajudar a difundir a doença.

Com AFP

Publicidade