Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Após casos de Ômicron, Doria vai rever retirada de máscaras ao ar livre

Flexibilização deveria entrar em vigor no próximo dia 11, mas Comitê Científico vai analisar situação e deve entregar parecer na próxima semana

Por Paula Felix 30 nov 2021, 19h24

A flexibilização do uso de máscaras ao ar livre, que entraria em vigor no estado a partir do próximo dia 11, será reavaliada pelo Comitê Científico após a confirmação de dois casos da variante Ômicron do novo coronavírus nesta terça-feira, 30. A análise, feita a pedido do governador João Doria (PSDB), será para verificar a necessidade do uso da proteção facial diante dos primeiros casos da mutação detectados no Brasil.

No último dia 24, a gestão estadual tinha anunciado que a máscara continuaria sendo obrigatória apenas em ambientes fechados e no transporte público. A decisão foi tomada com base na população vacinada e na situação epidemiológica no estado. Em São Paulo, 75,8% da população está com o esquema vacinal contra a Covid-19 completo.

“O nosso parâmetro sempre foi o cenário epidemiológico em São Paulo. E, por isso, precisamos saber o impacto da nova variante com a flexibilização do uso de máscaras em espaços abertos. É necessário ter cautela e avaliar esse novo elemento. O nosso compromisso é com a saúde da população”, disse, em nota, o governador. O parecer do comitê deve ficar pronto na próxima semana.

O Instituto Adolfo Lutz confirmou que dois brasileiros foram infectados pela nova cepa. O sequenciamento genético foi feito pelo laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, os pacientes são um homem de 41 anos e uma mulher de 37. O casal tinha vindo da África do Sul, que notificou o surgimento da variante, e voltaria ao país. Os dois apresentavam sintomas leves quando foram examinados, no dia 25, e receberam a orientação de ficar em isolamento. A pasta informou que não há registros de imunização do casal na plataforma estadual VaciVida e a investigação inicial não apontou vacinação em outro local.

A Secretaria Municipal da Saúde informou que equipes de saúde estão na casa do casal para investigar possíveis contactantes e iniciar o rastreamento para monitorá-los. Também está verificando a situação vacinal da família.

O Instituto Adolfo Lutz está fazendo o sequenciamento genético de um passageiro que desembarcou em Guarulhos, cidade onde mora, no último dia 28. Ele veio da Etiópia e não apresentava sintomas da Covid-19, mas fez o teste por ter visitado a África do Sul. O homem está em isolamento.

Continua após a publicidade

Publicidade