Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Após atraso, secretário da Saúde do Rio confirma chegada de vacinas

Previsão de recebimento do lote era às 13h e atrasou; dez caixas de Coronavac serão inicialmente recebidas para o começo da vacinação no estado

Por Marina Lang Atualizado em 18 jan 2021, 20h45 - Publicado em 18 jan 2021, 15h58

O secretário estadual da Saúde do Rio de Janeiro Carlos Alberto Chaves confirmou a VEJA que dez caixas do 1º lote da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida sob coordenação do Governo de São Paulo, chegaram à cidade na tarde desta segunda-feira, 18, após um atraso logístico na entrega, inicialmente prevista para as 13h de hoje.

Não se sabe, contudo, quantas doses foram enviadas nestas dez caixas. O Rio de Janeiro iniciará hoje a distribuição e a vacinação em 92 municípios do estado. O voo chegou pouco antes das 17h. A Polícia Federal fará a escolta da carga para a distribuição na cidade e no estado.

O Governo do Estado do Rio confirmou hoje que está previsto o recebimento de 487 520 doses do imunizante contra o coronavírus para distribuição no território fluminense. A administração estadual informou também que as seringas já foram liberadas para as cidades no último sábado.

As primeiras doses vão ser aplicadas no Cristo Redentor, ponto turístico da capital. Inicialmente, a previsão dada pelo governo era às 17h. Com o atraso da chegada das vacinas, contudo, o evento também foi postergado, mas deve ocorrer ainda hoje. O prefeito da cidade, Eduardo Paes (DEM), disse que a iniciativa é simbólica.

A idosa residente de asilo Terezinha da Conceição, de 80 anos, e a técnica em enfermagem do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla Dulcinea da Silva Lopes, 59 anos, serão as duas primeiras a receber hoje a dose de CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa Sinovac contra a Covid-19, diante da estátua do Cristo.

Continua após a publicidade

Cerca de 200 mil vacinas acabarão destinadas à capital. A prioridade na cidade do Rio são os profissionais de saúde, idosos em asilos e deficientes internados. Nesta fase, não há previsão para os demais grupos.

O imunizante, desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, será distribuído por meio de 1 500 postos de saúde e clínicas da família no estado do Rio.

De acordo com o planejamento divulgado pelo Ministério da Saúde hoje, 220 495 doses serão destinadas a profissionais da saúde no estado do Rio. Outras 10 982 doses vão ser aplicadas em pessoas com 60 anos ou mais que estão em instituições ou asilos.

Já 783 unidades da vacina irão para pessoas com deficiência que estão internadas. Para populações indígenas ou que residem em terras indígenas estão reservadas 381 doses de CoronaVac. O planejamento envolve tanto a 1ª aplicação quanto a 2ª dose do imunizante.

Na manhã de hoje, Castro também assinou um acordo de cooperação entre o governo e as Associações de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj) e Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) com o objetivo de usar os espaços dos estacionamentos dos estabelecimentos associados como pontos de vacinação contra a Covid-19.

À tarde, o prefeito Eduardo Paes divulgou o calendário de vacinação municipal, cuja previsão de realização é entre os dias 19 e 23 de janeiro. Os profissionais de saúde serão priorizados nesta etapa. As fases seguintes dependerão do envio de mais doses por parte do governo de São Paulo.

Continua após a publicidade
Publicidade