Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Apesar da ineficácia, antibióticos são prescritos em 70% dos casos de bronquite aguda nos EUA

Porcentagem é uma média dos últimos quinze anos. Diversos estudos mostraram que remédio não colabora com o tratamento da doença

Por Da Redação 21 Maio 2014, 15h57

Apesar de evidências científicas mostrarem que antibióticos são ineficazes em praticamente todos os casos de bronquite aguda, a prescrição desse tipo de medicamento para pessoas com a doença ainda é elevada. Um estudo feito nos Estados Unidos mostrou que, nos últimos quinze anos, cerca de 70% dos tratamentos para pacientes com a condição no país foram feitos com antibióticos.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Antibiotic Prescribing for Adults With Acute Bronchitis in the United States, 1996-2010​

Onde foi divulgada: periódico Jama

Quem fez: Michael L. Barnett e Jeffrey A. Linder

Instituição: Hospital Brigham and Women’s da Universidade Harvard, nos Estados Unidos

Resultado: Nos últimos quinze anos, cerca de 70% dos tratamentos para pacientes com bronquite aguda foram feitos com antibióticos, apesar de pesquisas mostrarem que o medicamento é ineficaz contra a doença.

Continua após a publicidade

A pesquisa, realizada no Hospital Brigham and Women’s da Universidade Harvard, avaliou a prevalência de prescrição de antibióticos a pessoas com bronquite entre 1996 e 2010 nos Estados Unidos. Os resultados foram divulgados no periódico Jama.

A bronquite aguda é uma doença respiratória caracterizada por tosse predominante que dura até três semanas. Estudos feitos ao longo dos últimos quarenta anos mostraram que antibióticos são quase sempre ineficazes no tratamento do problema. Desde 2005, o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês), órgão de saúde americano, sugere que nenhum paciente com a condição tome antibiótico.

Leia também:

A era pós-antibiótico

OMS alerta para impacto da resistência a antibióticos sobre saúde global

No novo estudo, os pesquisadores se basearam em dados de dois levantamentos nacionais sobre cuidados básicos de saúde em hospitais e ambulatórios dos Estados Unidos. Segundo os resultados, dos 3.153 atendimentos a pacientes com bronquite aguda registrados entre 1996 e 2010, 71%, em média, incluíram prescrição de antibióticos – e a taxa de pacientes tratados com o medicamento aumentou gradualmente durante esse período.

A pesquisa ainda indicou que a prescrição do medicamento nesses casos cresceu especialmente em serviços de emergência. O grupo de antibiótico mais receitado foi o dos macrolídeos, correspondendo a 35% de todos os antibióticos indicados para bronquite aguda.

“Evitar o uso excessivo de antibióticos para a bronquite aguda é importante para os cuidados de saúde de qualidade. Médicos, sistemas de saúde, contribuintes e pacientes devem colaborar para criar mais responsabilidade e diminuir o uso excessivo desses medicamentos”, concluíram os pesquisadores.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)