Clique e assine com até 92% de desconto

Anvisa faz campanha contra emagrecedores

Veto da agência contraria recomendações de especialistas e entidades médicas

Por Da Redação 27 dez 2011, 11h26

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) iniciou nesta terça-feira uma campanha nos meios de comunicação para “esclarecer” a população sobre a proibição do uso e da venda de remédios para emagrecer no país, segundo informou a Agência Brasil. A medida da Anvisa contrariou recomendações de especialistas e entidades médicas. O autor do estudo que motivou a Anvisa a retirar os emagrecedores do mercado também foi contra a proibição.

Na primeira fase, a campanha será veiculada em 43 rádios de noves capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Salvador – onde há maior público consumidor de inibidores de apetite, segundo a Anvisa. Em fevereiro, a campanha começa a ser apresentada nos canais nacionais de televisão. As mensagens afirmarão que a maneira eficaz de emagrecer é com alimentação balanceada e prática de exercício físico semanal, deixando de levar em conta os casos nos quais os medicamentos são necessários.

Em outubro, a Anvisa decidiu banir do mercado os medicamentos para emagrecer à base de anfepramona, femproporex e mazindol, os chamados anfetamínicos, porque podem causar problemas cardíacos e alterações no sistema nervoso central dos pacientes. Desde o dia 9 deste mês, farmácias estão proibidas de vender os remédios. A fabricação e prescrição médica foram vetadas.

Saiba a diferença entre os medicamentos:

A sibutramina, usada também no tratamento de obesidade, continua liberada, mas com restrições. Os pacientes e médicos precisam assinar um termo de responsabilidade, que deve ser apresentado junto com a receita médica no momento da compra do medicamento. Os profissionais de saúde são obrigados a informar à Anvisa problemas em pacientes que usam o remédio.

De acordo com a agência reguladora, a sibutramina ajuda a perder, no mínimo, 2 quilos de massa corporal em um período de quatro semanas. O tratamento é indicado para quem tem Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou acima de 30 e não sofre de doença cardíaca. O prazo máximo é de dois anos.

Questão de peso

As idas e vindas da Anvisa em relação aos medicamentos inibidores de apetite

  1. 16/02/2011 – Em seu site, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária anuncia a proposta de banimento dos remédios emagrecedores que atuam no sistema nervoso central: a sibutramina e os derivados de anfetamina (femproporex, dietilpropiona e mazindol).
  2. 18/02/2011 Reportagem publicada pela revista VEJA mostra por que decisão da Anvisa é uma ameaça à saúde de 16 milhões de pessoas.
  3. 23/02/2011 Em audiência pública, sociedades médicas se mostram contrárias à proposta de banimento. Diante disso, a proibição, antes programada para o início de março, é adiada.
  4. 02/03/2011 A ONU divulga relatório defendendo o uso dos inibidores de apetite no combate à obesidade, mas recomenda controle sobre a venda e prescrição da droga.
  5. 13/04/2011 – A Anvisa anuncia a realização de um painel científico sobre a retirada do mercado dos medicamentos emagrecedores.
  6. 14/06/2011 Anvisa realiza painel científico com a presença do cardiologista norueguês Christian Torp-Pedersen, integrante do comitê independente que realizou o estudo Scout, sobre os efeitos da sibutramina em pacientes obesos e que serviu de base para a Anvisa propor a proibição dos emagrecedores. Pedersen se diz contrário à proibição.
  7. 24/08/2011 A Anvisa recua de sua decisão inicial de proibir todos os medicamentos emagrecedores. Relatório recomendou a manutenção da sibutramina e a proibição das drogas dietilpropiona, femproporex e mazindol.
  8. 31/08/2011 – Colegiado da Anvisa – formado pelos quatro diretores da agência – se reúne, mas não chega a decisão final.
  9. 04/10/2011 – Anvisa anuncia a proibição da venda dos inibidores de apetite derivados da anfetamina. A sibutramina é mantida. Conselho Federal de Medicina diz que vai recorrer da decisão.
  10. 06/10/2011 – Ministério Público Federal em Goiás abre inquérito para apurar decisão da Anvisa.
  11. 10/10/2011 – É publicada no Diário Oficial da União a RDC nº 52, resolução da diretoria colegiada da Anvisa que proíbe a comercialização dos emagrecedores à base de anfetaminas e impões restrições ao uso da sibutramina.
  12. 13/10/2011 – CFM entra com Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
  13. 09/12/2011Entra em vigor a proibição da comercialização dos inibidores de apetite derivados de anfetamina.
  14. 27/12/2011 – Anvisa inicia campanha para “esclarecer” a população sobre a proibição dos emagrecedores à base de base de anfepramona, femproporex e mazindol, chamados de anfetamínicos.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade