Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Agência europeia começa processo de análise da CoronaVac

Esse é o primeiro passo para um futura aprovação do imunizante no bloco, o que pode abrir caminho para a entrada de brasileiros

Por Giulia Vidale Atualizado em 6 Maio 2021, 15h08 - Publicado em 4 Maio 2021, 11h51

A EMA, agência que regula medicamentos na União Europeia, começou nesta terça-feira, 4, o processo de análise continuada da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Life Sciences. Esse é o primeiro passo para uma futura aprovação do imunizante no bloco.

“A revisão contínua continuará até que evidências suficientes estejam disponíveis para um pedido formal de autorização de comercialização.”, disse a EMA em comunicado. O Comitê de Medicamentos Humanos da EMA (CHMP, na sigla em inglês) irá avaliar se os benefícios da vacina superam os riscos e se sua eficácia, segurança e qualidade seguem os padrões exigidos pela União Europeia.

De acordo com a agência, a decisão de iniciar a revisão da vacina foi baseada em resultados de estudos laboratoriais e clínicos que sugerem que o imunizante, que na Europa é chamado Vero Cell e no Brasil, de CoronaVac, desencadeia a produção de anticorpos contra o novo coronavírus e pode ajudar a proteger contra a Covid-19.

LEIA TAMBÉM: Covid-19: por que é importante tomar a segunda dose da vacina

Atualmente, quatro vacinas contra a Covid-19 estão autorizadas no bloco: Pfizer-BioNTech, Moderna, AstraZeneca e Janssen. Todas passaram pelo processo de análise continuada.

Uma eventual aprovação da vacina da Sinovac na União Europeia pode facilitar a entrada de brasileiros no bloco. A Comissão Europeia pretende autorizar a entrada de viajantes provenientes de países que estejam com a pandemia controlada – o que não é o caso do Brasil no momento – ou que tiverem tomado duas doses de vacinas aprovadas na União Europeia ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Continua após a publicidade
Publicidade