Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Acupuntura ajuda a preservar a memória

De acordo com um novo estudo, pacientes com perda cognitiva submetidos à técnica tiveram melhor desempenho em testes de cognição

Por Da redação
5 ago 2016, 15h12

A acupuntura pode ajudar a preservar a memória de pessoas com comprometimento cognitivo leve. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico BMJ Acupuncture in Medicine, o tratamento pode até reduzir o declínio da memória durante as fases iniciais de demência.

Pesquisadores da Universidade Wuhan, na China, revisaram cinco estudos já publicados sobre o assunto, com um total de 568 pacientes. Todos os participantes tinham comprometimento cognitivo leve (CCL), condição caracterizada pelo declínio da memória e de outras funções cognitivas. Entretanto, essa perda ainda não impede que a pessoa realize suas tarefas diárias, mas, geralmente, o diagnóstico de CCL antecede um de demência.

Os resultados mostraram que os participantes que faziam acupuntura tiveram uma pontuação 10% maior em testes de cognição do que aqueles que foram submetidos somente ao tratamento padrão com medicamentos.  Segundo os autores, os resultados foram ainda melhores na associação entre acupuntura e medicamento, desde que a técnica seja aplicada três vezes por semana, durante, pelo menos, dois meses.

“A acupuntura tem um efeito significativamente positivo na função cognitiva e da memória”, concluíram os autores.

Continua após a publicidade

Leia também:
Acupuntura pode ajudar a emagrecer, diz estudo
Acupuntura é eficaz no tratamento de algumas dores crônicas, confirma pesquisa

Entretanto, os autores admitem que mais pesquisas são necessárias devido às limitações da revisão em questão, como, por exemplo, o fato de todos os pacientes serem chineses e a falta de um controle sobre um possível efeito placebo da acupuntura.

A acupuntura é um tratamento que existe há mais de 3.000 anos e consiste em introduzir agulhas em pontos específicos do corpo para tratar doenças, melhorar dores entre outros. No entanto, sua eficácia ainda gera controvérsias. Há quem diga que a técnica não funciona, pois seus benefícios nunca foram comprovados cientificamente. Por outro lado, alguns especialistas afirmam que ela é útil principalmente para problemas sem outros tratamentos eficazes.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.