Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Acupuntura ajuda a preservar a memória

De acordo com um novo estudo, pacientes com perda cognitiva submetidos à técnica tiveram melhor desempenho em testes de cognição

Por Da redação 5 ago 2016, 15h12

A acupuntura pode ajudar a preservar a memória de pessoas com comprometimento cognitivo leve. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico BMJ Acupuncture in Medicine, o tratamento pode até reduzir o declínio da memória durante as fases iniciais de demência.

Pesquisadores da Universidade Wuhan, na China, revisaram cinco estudos já publicados sobre o assunto, com um total de 568 pacientes. Todos os participantes tinham comprometimento cognitivo leve (CCL), condição caracterizada pelo declínio da memória e de outras funções cognitivas. Entretanto, essa perda ainda não impede que a pessoa realize suas tarefas diárias, mas, geralmente, o diagnóstico de CCL antecede um de demência.

Os resultados mostraram que os participantes que faziam acupuntura tiveram uma pontuação 10% maior em testes de cognição do que aqueles que foram submetidos somente ao tratamento padrão com medicamentos.  Segundo os autores, os resultados foram ainda melhores na associação entre acupuntura e medicamento, desde que a técnica seja aplicada três vezes por semana, durante, pelo menos, dois meses.

“A acupuntura tem um efeito significativamente positivo na função cognitiva e da memória”, concluíram os autores.

Leia também:
Acupuntura pode ajudar a emagrecer, diz estudo
Acupuntura é eficaz no tratamento de algumas dores crônicas, confirma pesquisa

Entretanto, os autores admitem que mais pesquisas são necessárias devido às limitações da revisão em questão, como, por exemplo, o fato de todos os pacientes serem chineses e a falta de um controle sobre um possível efeito placebo da acupuntura.

A acupuntura é um tratamento que existe há mais de 3.000 anos e consiste em introduzir agulhas em pontos específicos do corpo para tratar doenças, melhorar dores entre outros. No entanto, sua eficácia ainda gera controvérsias. Há quem diga que a técnica não funciona, pois seus benefícios nunca foram comprovados cientificamente. Por outro lado, alguns especialistas afirmam que ela é útil principalmente para problemas sem outros tratamentos eficazes.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês