Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Veja Essa

As frases que marcaram a semana

Por Da Redação - 15 jun 2018, 06h00

“Sem a imprensa livre, a Justiça não funciona bem, o Estado não funciona bem.”

Cármen Lúcia, presidente do STF, no seminário 30 Anos sem Censura

“O presidente é responsável por quem ele nomeou. Depois, lá dentro, não tem nem tempo de saber. Mas no Brasil as pessoas pensam que o presidente sabe tudo e pode tudo. Tomara.”

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente, depondo como testemunha de defesa de Lula ao juiz Sergio Moro

“Por quase sete anos eu cheirei todo dia. Minha casa virou uma meca. Eu arranjei um traficante que atendia por bipe. Ele se vestia de médico e andava de táxi.”

Nasi, vocalista da banda Ira!, sobre a facilidade de acesso a drogas no auge do sucesso

“Se pretende levar celular, laptop ou qualquer aparelho eletrônico, fique sabendo: todos os dados que eles contêm (principalmente informações pessoais) podem ser acessados pelo governo ou pelos cibercriminosos russos.”

William Evanina, diretor do Centro Nacional de Contrainteligência e Segurança dos Estados Unidos, em comunicado aos americanos que vão ver a Copa do Mundo na Rússia

“Eu me expus para me aproximar da Coreia do Norte, e eles foram muito amáveis comigo, com minha família e com os Estados Unidos. Portanto, vamos fazer este acordo acontecer.”

Dennis Rodman, ex-jogador de basquete e o único americano a manter contato com os ditadores norte-coreanos, tirando uma casquinha dos louros do encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump
Ramon Vasconcelos/TV Globo

“Minha existência neste mundo não se resume ao meu namorado.”

Bruna Marquezine, atriz global, reclamando do excesso de atenção dado a seu romance em vão, já que o namorado, no caso, é Neymar

“O robô dormiu.”

John Callas, cientista da Nasa, sobre o Opportunity, que monitora Marte há quinze anos e parou de funcionar nesta semana devido a uma tempestade de poeira que cobre o planeta e o impede de receber luz solar e recarregar baterias. A preocupação é se ele voltará a funcionar quando a tempestade passar

“Fui vítima de um conluio entre contador, Coca-Cola e Procuradoria-Geral.”

Laerte Codonho, dono da fábrica de refrigerantes Dolly, preso sob a acusação — um complô, segundo ele — de liderar um esquema para sonegar impostos

“Não precisa dizer: ‘Não, vou corrigir, daqui para a frente vou pagar direito’. Não precisa disso. A Vera vai continuar pagando para você e você reembolsa a Vera. O importante é você pagar, o modo não é da conta desses filhos da p., minha filha.”

Roberto Jefferson, presidente do PTB, aconselhando a filha Cristiane Brasil, deputada suspeita de fraude trabalhista, a driblar situação comprometedora, em áudio obtido pelo jornal 'O Globo'. Segundo Jefferson, a reportagem faz “ilação” de uma conversa informal

Publicado em VEJA de 20 de junho de 2018, edição nº 2587

Publicidade