Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Leitores: obscurantismo, PGR e a volta do sarampo

As mensagens enviadas na última semana

Por Da Redação - Atualizado em 20 set 2019, 09h25 - Publicado em 20 set 2019, 06h30

Assuntos mais comentados

  • Reportagem de capa (tempo de retrocesso)
  • Rui Costa (entrevista de Páginas Amarelas)
  • CPMF engavetada
  • Augusto Aras, o nome indicado para a PGR
  • Suicídio (Primeira Pessoa)

OBSCURANTISMO

A propósito da contundente reportagem de capa (“Um basta à ignorância”, 18 de setembro), cabe, por oportuno, citar Bertolt Brecht (1898-1956): “A cadela do fascismo está sempre no cio”. Cuidado, Brasil.
J.S. Decol
São Paulo, SP

Há, sim, um preocupante avanço do obscurantismo e do retrocesso, que pode nos levar a uma nova Idade das Trevas. Percebo, entretanto, que esse fenômeno prolifera porque há uma notável quantidade de gente ignorante e estúpida. Os ignorantes não têm consciência da própria ignorância nem da própria incompetência e fazem continuamente besteiras pensando estar corretos. A ignorância é agravada pela estupidez, cuja característica é carecer de raciocínio lógico e de senso crítico, e pela completa ausência de bases culturais. Os políticos usam as eleições para manter alta parcela de estúpidos no poder — simples assim.
Franco Magrini
Cachoeira Paulista, SP

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcello Crivella, pisou na bola — até mesmo legalmente. Ele deveria ter se informado antes de pedir a interdição da história em quadrinhos. No entanto, é sempre bom lembrar que no Brasil, hoje, há paranoia em relação a qualquer tema que mexa com as minorias.
Antonio José Gomes Marques
Rio de Janeiro, RJ

Retrocedemos à Idade das Trevas, iluminados somente pelas chamas da natureza em devastação. De eterno país do futuro, retroagimos à condição de nação do atraso.
Paulo Sergio Arisi
Porto Alegre, RS

Como disse Yuval Noah Harari, em entrevista a VEJA, se as exposições de imagens de beijos influenciassem na orientação sexual, não haveria homossexuais, visto que a quase totalidade delas é de casais heterossexuais. A minoria LGBT não precisa ser enaltecida, basta ser entendida e acolhida na comunidade. Para isso, no devido tempo e sem apologias ideológicas, o ideal é prover a todo estudante ensino pleno, esclarecimento e respeito em torno dessa condição, a fim de corroborar o combate ao bullying nas escolas.
Ari Cosme François
Ribeirão Preto, SP


RUI COSTA

Alguns esclarecimentos ao governador Rui Costa: a Venezuela é uma ditadura, sim. O PT não inventou a corrupção, é claro. Apenas tornou-a um projeto de poder. A condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá, confirmada em três instâncias, não é uma aberração; Lula é corrupto (“O PT precisa mudar”, Páginas Amarelas, 18 de setembro).
José Renato Nascimento
São Paulo, SP

O PT é o partido de um nome só. Gosta de receber apoio, mas não sabe retribuir e compor.
Silvia Pittas
São Paulo, SP (via Instagram)


ECONOMIA

Perfeita a colocação de VEJA na defesa da redução de gastos públicos (“Cortar, cortar e cortar”, 18 de setembro). Como diz a regra do competente administrador: “É fazer mais com menos”.
Mauro Asperti
São Paulo, SP


PGR

Ao ler a reportagem “Com a mão na taça”, de 18 de setembro, e saber que a Associação Nacional dos Procuradores da República classificou a escolha de Augusto Aras por Jair Bolsonaro como “retrocesso democrático”, só me restou lembrar o saudoso Millôr Fernandes, que dizia o seguinte: “Democracia é quando eu mando em você. Ditadura é quando você manda em mim”.
José Luiz Moreira
São Paulo, SP


FUTEBOL

Não gosto do Flamengo, mas torço para que seja o campeão de 2019. Quem sabe assim caiam a soberba, a covardia e o esquema de jogo retrancado dos técnicos brasileiros (“Tecnologia estrangeira”, 18 de setembro).
Fabio Silveira de Castilho
Rio de Janeiro, RJ (via Instagram)


SAÚDE

Absurdo. O sarampo é uma doença 100% controlável e previsível, desde que a vacinação seja ampla e correta (“Um triste passo atrás”, 11 de setembro).
Rosanna Sá
Recife, PE (via Facebook)


SETEMBRO AMARELO – A psicanalista Paula Fontenelle: vida nova depois da morte voluntária do pai, em 2005 Henrique Pontual/VEJA

“O inquietante mutismo em torno dos casos de suicídio já pede campanha de conscientização em escolas.” (“O suicídio cresce no silêncio”, Primeira Pessoa, 18 de setembro)

Will Carvalho Cuiabá, MT

GENTE

A nota “Tinta, pincel, telas e muitos milhões”, de 18 de setembro, não corresponde à exata realidade no que nos toca, considerando-se o “compromisso com o jornalismo de excelência” anunciado por VEJA e que se sabe ser sua diretriz. Houve confusão ao interpretar o conteúdo da decisão proferida pela Justiça Federal, na qual a Galeria Fortes Vilaça é meramente referenciada em uma transação comercial, porém jamais como parte envolvida em atos ilícitos. A galeria vendeu o quadro em questão por seu valor de mercado, com a emissão de notas fiscais nos exatos valores correspondentes, e recebeu pagamentos por intermédio do sistema bancário, sem negociação nenhuma em “dinheiro vivo”. Vale relembrar que a Galeria Fortes Vilaça chama-se Fortes D’Aloia & Gabriel desde outubro de 2016, quando celebrou uma mudança societária.
Direção da Fortes D’Aloia & Gabriel
São Paulo, SP


PODCAST FUNCIONÁRIO DA SEMANA

Ouvi o podcast com o deputado federal Tiririca. Não duvido que ele consiga ser presidente — aqui, quanto mais pitoresca é a pessoa, mais o povo a quer como representante.
Lucia Correia
São Paulo, SP (via Instagram)

Publicado em VEJA de 25 de setembro de 2019, edição nº 2653

Publicidade