Clique e assine a partir de 9,90/mês

Como a crise fez os clássicos das telas voltarem ao cartaz no streaming

Serão adicionados ao catálogo internacional da Netflix cinquenta filmes

Por Da Redação - 24 Apr 2020, 06h00

– Reforço na Netflix
Com a produção de séries e filmes interrompida pela quarentena, a plataforma busca novidades — algumas nem tão novas assim. Serão adicionados ao catálogo internacional cinquenta filmes clássicos. São títulos de cineastas célebres, como Charlie Chaplin, e expoentes da nouvelle vague, caso de François Truffaut. A Netflix Brasil ainda não confirmou se os mesmos longas serão lançados por aqui. Na agenda de estreias de maio, porém, está Psicose (1960), de Alfred Hitchcock

– Clássicos no NOW
Com os cinemas fechados, começam a minguar as novidades que costumam aquecer o NOW, canal sob demanda da operadora Claro Net. A plataforma, porém, se apoia na abundante quantidade de produções antigas, desde títulos à la Sessão da Tarde como Uma Linda Mulher (1990) até o inovador Metrópolis (1927), marco do expressionismo alemão, de Fritz Lang. Assinantes de canais complementares, como o Telecine, ainda podem ver ali muitas outras opções

– O diferentão Mubi
Com o esgotamento dos sites mais populares, o Mubi voltou à tona por seu formato diferenciado. O canal oferece apenas trinta filmes pelo período de um mês: a cada dia, uma nova produção entra, enquanto outra sai. A curadoria é o principal chamariz da empresa, que preza por longas de arte e premiados em festivais, dos muitos antigos a outros recentes — mas todos difíceis de ser encontrados

– Oldflix
A plataforma é um manjar de velharias, que vão de diretores europeus com status de cult, como Federico Fellini e Ingmar Bergman, a saborosas bobagens da TV americana, como A Feiticeira e MacGyver, além de animações como Caverna do Dragão. Épicos bíblicos, filmes de terror da década de 40 e uma vasta variedade de faroestes completam as opções do site de origem brasileira

Publicado em VEJA de 29 de abril de 2020, edição nº 2684

Publicidade