Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cinco maneiras de flagrar notícias falsas

Verificação da fonte e do crédito da imagem estão entre os procedimentos recomendados

– Credibilidade da fonte
O primeiro item do guia feito por pesquisadores da Universidade de Salford (Reino Unido) para ajudar jovens a identificar notícias falsas consiste em verificar se a informação em questão foi publicada também na imprensa. Veículos jornalísticos profissionais têm por regra checar informações, publicando-as apenas depois
de confirmá-las com uma segunda ou terceira fonte.

– Aparência do conteúdo e da página
Quando a informação foi originalmente publicada em um site, o guia recomenda observar se ele tem uma boa apresentação, fotografias com crédito do autor e textos sem expressões exageradas ou ofensivas. Outra dica é ler a seção Sobre, que existe na maioria dos sites, para verificar quem são os responsáveis pela página.

– Referências
Uma boa reportagem contém referências — seja sobre fontes, seja sobre determinado autor ou estudo acadêmico. Por isso o guia de Salford estabelece que averiguar se as referências incluídas no artigo existem de fato é uma forma de saber se a página em que ele foi publicado é confiável.

– Credibilidade do autor
Jornalistas e articulistas ganham a vida escrevendo. Os pesquisadores sugerem que, ao ler uma reportagem de determinado autor, se cheque no Google se há outras publicações em nome dele em veículos da imprensa profissional.

– Créditos da imagem
A ferramenta Google Images, do Google, é gratuita e permite ao usuário conhecer a origem da imagem e de todos os sites em que ela é reproduzida — apontando, inclusive, as páginas onde ela pode ter sido usada fora de contexto ou adulterada. Sites pouco confiáveis não se preocupam com créditos e podem adulterar imagens

Publicado em VEJA de 20 de dezembro de 2017, edição nº 2561