Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Papa Francisco estabelece lei da ficha limpa no Vaticano

As novas regras anticorrupção incluem a proibição de possuir bens em paraísos fiscais e o veto a presentes com o valor superior a 40 euros

Por Adriana Dias Lopes Atualizado em 29 abr 2021, 11h58 - Publicado em 29 abr 2021, 11h48

O papa Francisco estabeleceu novas regras para combater a corrupção no Vaticano. Isso foi feito por meio de um documento chamado motu próprio, que é criado por iniciativa exclusiva de um pontífice.

Mais rigorosas, as normas são voltadas aos dirigentes, incluindo cardeais e pessoas que exercem funções administrativas e de vigilância. Elas incluem a proibição de possuir bens em paraísos fiscais, investir em empresas que operem em setores contrários à Doutrina Social da Igreja e o veto a presentes com o valor superior a 40 euros.

O texto também estabelece que todos declarem estarem isentos de condenações ou investigações por lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

Francisco assumiu o comando da Igreja em 2013, em meio a uma série de escândalos financeiros que mancharam a imagem do Vaticano, e desde então vem tentando estabelecer a transparências nas contas.

Continua após a publicidade
Publicidade