Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

‘Wajngarten continua mais firme do que nunca’, diz Bolsonaro

Polícia Federal abriu inquérito para investigar suposto conflito de interesses do chefe da Secom; presidente disse que o assessor 'não é criminoso'

Por Da Redação 5 fev 2020, 10h37

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 5, que o secretário especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, “continua mais firme do que nunca” em seu cargo.

A Polícia Federal (PF) abriu um inquérito para investigar Wajngarten por supostas práticas de corrupção passiva, peculato e advocacia administrativa, quando há patrocínio de interesses privados na administração pública. Questionado, Bolsonaro disse que “não foi a PF que abriu” o inquérito. “O MP [Ministério Público] pediu que ele fosse investigado. É completamente diferente do que você está falando, dá a entender que ele é um criminoso. Não é criminoso, não vi nada que atente contra ele. Wajngarten continua mais firme do que nunca”, disse o presidente na saída do Palácio da Alvorada.

  • No mês passado, reportagem do jornal Folha de S.Paulo apontou um suposto conflito de interesses na participação de Wajngarten como sócio em uma empresa de marketing, a FW Comunicação e Consultoria. Fundada pelo hoje secretário, ela tem como clientes emissoras de televisão e agências de publicidade que também recebem recursos de publicidade oficial do governo federal.

    Em nota, Wajngarten afirmou que o inquérito da PF é uma “oportunidade” para provar sua inocência. “A abertura de inquérito pela Polícia Federal é mais um passo na rotina do processo de investigação solicitado pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal em 28 de janeiro passado. Será a oportunidade que terei para provar que não cometi qualquer irregularidade na minha gestão à frente da Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom) desde abril do ano passado”, disse.

    Continua após a publicidade
    Publicidade