Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vereador quer fim das cotas raciais e do Dia da Consciência Negra

Líder do MBL, Fernando Holiday (DEM) critica homenagem a Zumbi dos Palmares e diz que reservar vagas no serviço público reforça racismo

No terceiro dia como vereador de São Paulo, Fernando Holiday (DEM), de 20 anos, afirmou nesta quinta-feira, em entrevista à TV Câmara, que vai apresentar propostas para revogar o Dia da Consciência Negra e o fim das cotas raciais em concursos públicos municipais da capital.

Negro, Holiday é um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), que ganhou projeção nas manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Ele foi eleito com pouco mais de 48.000 votos.

As propostas estavam entre as principais bandeiras de sua campanha.  Em novembro do ano passado, ele já havia publicado em sua página no Facebook que era um “um absurdo” existir uma data como o Dia da Consciência Negra, que “homenageie um homem assassino escravagista”. O dia 20 de novembro foi escolhido como homenagem a Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, assassinado neste dia.

“É um debate que há muito tempo venho encampando, contrário às cotas, porque acredito que elas reforçam o racismo ao invés de ajudar os negros. O Dia da Consciência Negra é um feriado complicado, que muitas vezes atrapalha esse combate (contra o racismo)”, disse.

A lei que instituiu o Dia da Consciência Negra é de âmbito federal e foi sancionada por Dilma no dia 10 de novembro de 2011. No entanto, cabe aos municípios ou Estados decidir se o dia deve ou não ser feriado, como o é em São Paulo pela lei municipal 13.707 promulgada pela ex-prefeita Marta Suplicy, em janeiro de 2004.

Outra ideia defendida pelo parlamentar é a proibição de homenagens em sessões solenes a ditadores e genocidas “ou qualquer personagem ou fato histórico que tenha atentado contra os direitos humanos e a liberdade em algum momento da história.

“Já protestei na Câmara contra uma homenagem que fizeram a Fidel Castro em uma sessão solene que teve. Pretendo trazer essa experiência e esse idealismo para dentro da Câmara, uma casa legislativa que é a casa do povo, para que respeite as liberdades também quando for homenagear alguém”, afirmou. Holiday não citou outras personalidades que poderiam ter homenagens barradas.

(Com Estadão Conteúdo) 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Democrata Cristão

    Mandou bem!

    Curtir

  2. Ronaldo Magnavacca

    É mesmo muito estranho falar em consciência negra, como se consciência tivesse cor. É só mesmo na cabeça de purungo de petista que isso existe. Gostei da iniciativa e quem sabe chega até a câmara e ao senado federal para que seja revogada. É preciso começar a desconstruir a obra petista que só atrasa e faz o povo perder negocio com tanta invenção sem propósito algum.

    Curtir

  3. Luis Eduardo

    Como pode ter pessoas assim,ele não consegue ver o histórico que uma família negra carrega por causa desse preconceito maldito,o qnt afeta ela grandemente, a falta de estrutura, condições financeiras, pouco conhecimento agregado, por causa de um país racista como o nosso é que tenta camuflar esse racismo. Tds esses fatores para eles não tem a mínima importância.Ele n consegue ver que essa igualdade entre pretos e brancos está muito longe ainda de se igualar.Apartir do momento em que ambos estiver em condições igualitárias em todos as formas,aí sim poderemos penssar.

    Curtir

  4. Marcio da Silva

    Fernando Holiday é um exemplo a ser seguido, pois pretende acabar com as diferenças e conflitos gerados pela petralhada! Há grupelhos de afronazistas que criticam ele, mas são o mesmo tipo de pessoas daquelas do grupo negro que torturou um jovem deficiente branco por 2 dias seguidos em Chicago. O racismo não presta em nenhum lado!

    Curtir

  5. Parabéns, Holiday, por sua coragem de enfrentar esses estereótipos esquerdistas. Avante!

    Curtir

  6. Fernando Holiday está certíssimo e tem a clarividência para enxergar que a vitimização dos negros por cotas e dia da consciência negra só reforça o preconceito contra os negros.

    Curtir

  7. Micky Oliver

    MERECE MEU RESPEITO! ESSE AI NÃO SE FAZ DE VÍTIMA POR UMA COISA QUE ELE NÃO SOFREU!

    Curtir

  8. Helio Carneiro

    Parabens Holiday! Negros não precisam de cotas e sim se oportunidade. Existem pobres negros e brancos e ricos negros e brancos. Se houver racismo já existe tipificação penal e pronto.

    Curtir

  9. O vereador ganhou o meu respeito. É inadmissível pregar igualdade se nós mesmo aceitamos as segregações raciais através de homenagens e cotas. Se somos iguais perante a lei, não podem existir esses tipos de especificidades, benefícios e homenagens.

    Curtir

  10. Antonio Renovável

    Vão reclamar com o (des)governo PTralha foram eles que criaram esse apartheid à brasileira, chamando pobre de incompetente, negro de burro, quem estudou em escola pública estupido. SEGREGAÇÃO PURA e os intelectuais bateram palmas.

    Curtir