Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Vereador do PSOL quer fazer investigação paralela à CPI dos Ônibus

Eliomar Coelho cobra acesso a documentos do município sobre composição do preço de passagens. Base do governo vai experimentar viajar em coletivos na hora do rush

Por Da Redação 12 set 2013, 19h02

O vereador Eliomar Coelho, do PSOL, propôs à presidência da Câmara Municipal uma diligência na Secretaria de Transportes, com o objetivo de conseguir informações sobre a licitação do sistema de ônibus em 2010. Coelho, o proponente da CPI dos Ônibus, não concordou com a composição da comissão – integrada por aliados de Eduardo Paes que não queriam a investigação – e anunciou que deixaria sua vaga aberta. Agora, o PSOL quer apurar o processo de licitação em paralelo. O primeiro passo dos oposicionistas é conseguir a autorização para ter acesso aos documentos do município.

Coelho quer ter informações sobre os estudos técnicos que serviram de base para a elaboração do Edital de Licitação de 2010, os processos administrativos dos consórcios, os balanços financeiros e operacionais das empresas e os relatórios da secretaria sobre a fiscalização das frotas, das garagens e dos terminais urbanos. “Os vereadores têm demonstrado falta de conhecimento sobre o assunto. Não há nenhuma contestação sobre o que é respondido. Esperamos que esses documentos que estamos solicitando, através de uma prerrogativa do mandato de vereador, sejam todos disponibilizados”, diz uma nota emitida pelo vereador.

Oposição aciona a Justiça para suspender CPI dos Ônibus

Justiça mantém aliados de Paes no comando da CPI dos Ônibus

Grupo deixa a Câmara do Rio após doze dias de ocupação

Nesta quinta-feira, o secretário municipal de Transportes, Carlos Osório, voltou a prestar esclarecimentos à CPI. Segundo Osório, o reajuste da passagem de 2,50 para 2,75 reais foi feito com base em estudo da Fundação Getúlio Vargas e em planilhas das empresas. A informação contraria o que a própria secretaria e o Sindicato das Empresas de Ônibus (Rio Ônibus) afirmaram, depois de o jornal O Globo mostrar que o aumento da tarifa foi baseado em sugestões dos empresários do setor.

Continua após a publicidade

Sessão externa – Na tentativa de reverter o repúdio da opinião pública à composição da comissão, os cinco vereadores marcarão uma sessão fora da Câmara. O presidente da CPI, Chiquinho Brazão, quer fazer uma viagem de ônibus de Santa Cruz ou Campo Grande, na Zona Oeste, até o Centro. O objetivo é vivenciar o transtorno enfrentado pelos moradores da região. Brazão será acompanhado pelos outros quatro integrantes da CPI: Professor Uoston (PMDB), Jorginho da S.O.S (PMDB), Renato Moura (PTC) e Marcelo Queiroz (PP). Os cinco devem embarcar no ônibus em duas semanas, no horário do rush, por volta de umas 7h30.

LEIA TAMBÉM:

CPI dos Ônibus começa com tumulto e protestos no Rio

‘Uoston, we have a problem’: quem é o homem de Eduardo Paes na CPI dos Ônibus

Continua após a publicidade

Publicidade