Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vaccarezza defende Lupi como ‘um homem honesto’

Líder do governo na Câmara voltou a dizer que instabilidade no ministério de Dilma não atrapalha votações na Casa

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), reafirmou a defesa do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, mesmo depois da decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República de recomendar a demissão do ministro. “Eu tenho o Lupi na conta de um homem honesto. Se forem comprovadas outras coisas contra ele, eu mudo de opinião”, disse Vaccarezza.

“Eu quero ler as apurações do conselho. Na administração pública não existe fé, existe o que está escrito”, afirmou. Vaccarezza disse que cabe à presidente Dilma Rousseff demitir ou não o ministro. “Opinião de órgão, cada um pode dar.” A presidente decidiu, pelo menos por enquanto, manter o ministro no cargo. A Casa Civil solicitou à comissão o processo completo que embasou a recomendação.

Vaccarezza afirmou que as questões envolvendo mudanças de ministro não prejudicaram as votações na Câmara até agora e não irão atingir o apoio dos partidos ao governo da presidente Dilma. Segundo ele, o apoio ao governo não foi condicionado à permanência de ministros nos cargos.

Entenda o caso – Reportagem de VEJA revelou que caciques do PDT comandados por Lupi transformaram os órgãos de controle da pasta em instrumento de extorsão. A situação do ministro piorou depois que ele mentiu em depoimento no Congresso Nacional sobre viagem ao Maranhão em 2009. O ministro negou que tenha viajado no King-Air providenciado por Adair Meira, presidente de organizações não-governamentais (ONGs) que tem contratos milionários com a pasta. Fotos e um vídeo desmentiram o ministro. Na edição desta semana, VEJA mostrou que assessores do ministro cobravam propina em troca de liberação de registro sindical.

(Com Agência Estado)