Clique e assine a partir de 9,90/mês

Uso de máscara provoca confusão entre secretário e brigadista de incêndio

Discussão envolvendo Luiz Nabhan Garcia, da Agricultura, e bombeiro provocou mudança de posto do funcionário

Por Victor Irajá - Atualizado em 5 set 2020, 16h44 - Publicado em 5 set 2020, 16h13

Secretário de Assuntos Fundiários, lotado no Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia envolveu-se em uma picuinha no mínimo cômica. Em junho, ao chegar no Ministério da Economia, o secretário “brincou” com um brigadista de incêndio dizendo que iria multá-lo pelo fato de o funcionário não estar usando a máscara de proteção contra a Covid-19. Em resposta, também em tom jocoso, o brigadista devolveu: “Vou lhe multar se fizer isso”, para a fúria de Garcia. Um relatório interno do Ministério da Economia aponta que, ao ouvir a resposta do bombeiro, Garcia “ficou muito irritado com o brigadista, entrou no prédio chamando os vigilantes para tirá-lo de lá”, alegando que o funcionário “agiu com falta de respeito”. Depois de entrar no prédio, continua o relatório, Garcia “ainda nervoso queria chamar a polícia, e disse que não queria mais ver o brigadista no prédio”, além de que tomaria “as devidas providências”.

A discussão virou ocorrência dentro do ministério. Segundo a Economia, o bombeiro confirmou a troca de animosidades e disse “já ter o costume de brincar com o acompanhante do Sr. Luiz Nabhan naquele momento”, que não foi identificado. Informado que poderia ser demitido pela empresa prestadora de serviços, o brigadista, posteriormente, foi notificado que apenas teria uma advertência aplicada e “uma possível mudança de posto de serviço”. O Ministério solicitou que o bombeiro fosse realocado em outro bloco, “para evitar maiores desgastes”. Para botar panos quentes, a pasta ainda pediu para a gerência operacional “alinhar com os colaboradores para que eles estejam sempre nos postos e utilizando máscara fácil nesse momento de pandemia”. Internamente, justifica-se a alteração de posto por “má conduta” do funcionário, por não estar utilizando máscara.

Subalterno da ministra Tereza Cristina, não é de hoje que o secretário de Assuntos Fundiários costura para derrubá-la do comando da Agricultura do país. Garcia foi uma indicação da área ideológica do governo e flerta com o cargo de ministro desde a assunção de Tereza — ele se apresenta como “vice-ministro”, cargo inexistente que aparece no cartão pessoal do secretário. Tereza tem o apoio da Frente Parlamentar do Agronegócio — coisa que, sabe o presidente Jair Bolsonaro, Garcia não tem. A ministra tem o trabalho respaldadíssimo pelo presidente, que chama a titular da pasta de “craque”. Homem forte do presidente durante a campanha eleitoral, Garcia sempre desejou o posto.

Publicidade