Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Último foragido, irmão de ex-ministro se entrega à PF

Apontado como emissário do doleiro Alberto Youssef para pagamento de propina, Adarico Negromonte era procurado pela Polícia Federal há dez dias

Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro Mário Negromonte (PP), se entregou à Polícia Federal, em Curitiba, nesta segunda-feira. Ele era o último suspeito foragido da sétima fase da Operação Lava Jato, que investiga a atuação de nove empreiteiras suspeitas de fraudar licitações e pagar propinas em um esquema bilionário de corrupção na Petrobras. Ele era procurado pela polícia desde 14 de novembro.

A advogada Joyce Roysen, que defende Adarico, tenta obter uma decisão judicial que permita a ele responder à investigação em liberdade. Mas o Ministério Público Federal já solicitou à Justiça que o mandado de prisão dele seja convertido de temporário para preventivo. A 13ª Vara Federal do Paraná vai analisar o pedido depois que Adarico for efetivamente detido.

EM VEJA: O alerta de Paulo Roberto Costa para Dilma

A lei que promete ser o pesadelo para as empresas corruptas

De acordo com as investigações, Adarico atuava como emissário do doleiro Alberto Youssef, pivô do esquema. Ele era um dos responsáveis por entregar pagamentos em espécie a políticos e executivos da Petrobras

Em um dos casos, José Ricardo Nogueira, diretor da OAS, solicitou uma entrega para o dia 4 de dezembro de 2013 em Canoas (RS). O pedido foi flagrado no monitoramento das mensagens eletrônicas do doleiro. Youssef, no diálogo, avisou que Adarico seria o responsável pela entrega na cidade.

Leia também: As contas bancárias dos integrantes do clube do bilhão

Empreiteiras investigadas dominam obras públicas no Brasil

Sétima fase da operação Lava Jato Sétima fase da operação Lava Jato

Sétima fase da operação Lava Jato (/)