Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TSE quebra sigilo de 20 empresas e pessoas físicas: veja a lista

Herman Benjamin determinou quebra de sigilo depois de análise de movimentação bancária mostrar sinais de irregularidades nas contas da chapa Dilma-Temer

O ministro Herman Benjamin, corregedor-geral da Justiça Eleitoral, autorizou a quebra do sigilo fiscal de 20 empresas e pessoas físicas suspeitas de envolvimento com irregularidades na chapa da presidente Dilma Rousseff e do então vice-presidente Michel Temer, atual presidente da República. Estas empresas e pessoas físicas teriam sido subcontratadas pelas gráficas Focal Confecção e Comunicação Visual, Red Seg Gráfica e Editora e Gráfica VTPB. As três gráficas foram alvos de busca e apreensão da Polícia Federal hoje e tiveram o sigilo bancário quebrado em outubro.

As empresas que tiveram o sigilo fiscal quebrado hoje teriam sido todas subcontratadas pelas três gráficas e teriam relação direta com as suspeitas de fraudes na campanha. No grupo das subcontratadas da Gráfica Red Seg, tiveram o sigilo fiscal quebrado as empresas Graftec Gráfica, RBG Mídia e Gráfica, Rodozani Prestação de Serviços, Artecnica Gravações, FSC Serviços Gráficos, Vivaldo Dias da Silva e Brigida Patrícia Frai. Vivaldo é motorista e aparece como presidente da Red Seg.

Os subcontratados da VTPB Serviços Gráficos que tiveram os sigilos quebrados são: Mídia Exterior Integrada, Dialógica Comunicação e Marketing, Riska Com. Imp. Exp., Rhoss Print Etiquetas, Thiago Martins da Silva e Maria da Conceição Camara Pimenta. A Dialógica, extinta em 2015, pertenceria a Keffin Gracher, que trabalhou com o ex-ministro e tesoureiro de Dilma na campanha, Edinho Silva.

Na lista de subcontratadas da Focal estão: Thinkeventos, Victor H. G. de Souza Design Gráfico, P.C.M. Lima Locação de Equipamentos para Eventos, Vigel Serviços e Administração, TOP 6 Promoções, Cristina Demarchi Crepalli e Fabiana de Oliveira Carvalho.

A Receita Federal deverá apresentar relatório conclusivo sobre a capacidade operativa das empresas que tiveram o sigilo quebrado. A defesa de Dilma demonstrou “perplexidade” com a decisão do ministro Herman, por proferir uma decisão em favor das buscas nas gráficas no recesso do Judiciário. O ministro Herman, que é relator do processo, no entanto, determinou a busca em despacho datado do dia 16 de dezembro, quando o Judiciário funcionava normalmente.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Lembrem-se que o Toffoli deve favor. Logo ele entra em ação e cancela tudo.

    Curtir

  2. Dilaon Sanvi

    O Toffoli não está com essa autoridade toda não. Ele não é mais o presidente do TSE. Quanto pessimismo!

    Curtir

  3. Tudo muito demorado, cheio de burocracia e incompleto. Leva á arquivamento, assim como ocorre com processos dos famosos foro privilegiado.E o país, afunda e afunda na anarquia institucional e da má gestão das coisas públicas.

    Curtir

  4. Antonio Silva

    O Dias Toffoli certamente vai pedir vistas depois de toda corte votar para justificar para os seus padrinhos que o colocaram no STF que tá tentando atrapalhar, missão dele no Supremo é atrapalhar.

    Curtir

  5. Francisco Lemos

    o Brasil e governado por gangues que se alternam no poder. O cidadao, otario, sustenta a vida de magnatas medievais desses bandidos vagabundos.

    Curtir

  6. Edival Medeiros

    Místicos dizem que os olhos são o espelho da alma. Que maldade satânica transparecendo nessa foto!

    Curtir

  7. Napoleao Gomes

    É, presidente ladrão Temer, chegou a tua vez!

    Curtir

  8. Nelson Marchetto

    Sempre ficam “perplexos” os que tem que responder por safadezas. Perplexos ficamos nós a medida que vamos descobrindo a extensão dos danos causados por esse bando!!!

    Curtir

  9. Pura perseguição !!!

    Curtir