Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

TRE barra candidatura de Sobrinho à prefeitura de Porto Velho

Em decisão unânime, o Tribunal Regional Eleitoral entendeu que o candidato pelo PT foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa e está inelegível

Por Marcela Mattos 28 set 2016, 18h05

Em um novo revés, Roberto Sobrinho (PT), candidato à prefeitura de Porto Velho, teve o registro negado nesta quarta-feira pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O plenário da corte, em decisão unânime, considerou que o petista está enquadrado na Lei da Ficha Limpa e, portanto, inelegível.

No início do mês, o juiz Amauri Lemes, da 6ª Zona Eleitoral, acatou o pedido de impugnação apresentado pela Procuradoria Regional Eleitoral. A defesa de Sobrinho, no entanto, recorreu ao TRE. Nesta tarde, os seis votos no plenário chancelaram a decisão anterior.

“Agora, ele pode continuar a campanha, mas está sem registro na Justiça Eleitoral. As coisas estão cada vez mais difíceis”, disse o procurador Héverton Aguiar. “O Brasil vem passando por um processo de depuração. As instituições democráticas estão trabalhando de forma séria e intensa para que esse processo ocorra. Essa decisão só vem consolidar esse trabalho”, continuou.

Ex-prefeito de Porto Velho por dois mandatos, Sobrinho foi preso em 2013 alvo de uma operação da Polícia Federal. Neste ano, o Tribunal de Justiça manteve, em segunda instância, a condenação do petista por improbidade administrativa, o que o tornou inelegível. Ainda assim, amparado em uma série de recursos judiciais, ele segue normalmente a campanha.

No início da disputa, Roberto Sobrinho chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto. Conforme última pesquisa Ibope, divulgada no último dia 16, o candidato petista está em segundo lugar, com 16% das intenções.

Continua após a publicidade

Publicidade