Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ataque à caravana de Lula repercute na imprensa internacional

Tiros foram notícia em jornais como ‘The New York Times’, ‘El País’, ‘Wall Street Journal’ e ‘The Guardian’; textos alertam para risco de instabilidade

Por Da redação - Atualizado em 28 mar 2018, 20h30 - Publicado em 28 mar 2018, 18h59

A imprensa internacional noticiou nesta quarta-feira o ataque a tiros aos ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Laranjeiras do Sul, no Paraná, ocorrido um dia antes. Não houve feridos. Os veículos transportavam jornalistas que acompanhavam o trajeto do ex-presidente. Jornais americanos e britânicos chegaram a ressaltar o clima de insegurança política que o episódio pode trazer.

O americano The Wall Street Journal e o britânico The Guardian divulgaram o episódio em suas redes sociais. O primeiro trouxe a chamada “Ônibus transportando apoiadores do ex-líder brasileiro ‘Lula’ são atingidos por tiroteio”, enquanto o segundo escreveu “Ônibus de turnê de campanha de Luiz Inácio Lula da Silva são atingidos por tiros em ataque”.

Reproduzindo nota da agência de notícias Associated Press, os americanos The Washington Post e The New York Times destacaram: “Líder do Brasil: ataque a ônibus de [Lula] da Silva poderia trazer instabilidade”.

O jornal espanhol El País também chamou atenção para o fato, reproduzindo uma reportagem da francesa AFP. No título, os veículos escrevem que os ônibus receberam “disparos e pedradas”.

“Espero que tenhamos segurança, que a polícia nacional e a polícia estadual, assim como os serviços de inteligência, possam cumprir seu papel para que possamos nos manifestar de maneira pacífica e democrática, como sempre fizemos”, disse a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, à agência francesa.

A agência Reuters, por sua vez, trouxe o título “Tiros disparados em ônibus de campanha do ex-presidente do Brasil Lula” e reproduziu no texto uma fala do petista, em comunicado do partido, comparando o ato à ascensão do nazismo. “Se acham que isso vai nos assustar, estão errados. Isso nos motivará”, diz Lula no trecho destacado pelo jornal.

Os argentinos Clarín e La Nación também trazem chamadas para a notícia em suas páginas.

Continua após a publicidade
Publicidade