Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Temer, o reformista

O presidente quer fechar o ano com seis reformas devidamente aprovadas e, diante do desarranjo que recebeu de Dilma, diz que seu governo “é nota 10”

Por Policarpo Junior - 11 mar 2017, 08h00

O presidente Michel Temer conta que recebeu um país na UTI, com inflação, juros e desemprego em alta – consequências dos erros de Dilma Rousseff, que acabaram causando a pior recessão da história. Aprovadas as primeiras reformas, a economia emite os primeiros sinais de recuperação e o governo já trabalha com a possibilidade de retomar o crescimento a partir do primeiro trimestre do ano.

Em entrevista a VEJA, Temer fala da crise, da relação com o Congresso, a Lava-Jato, os protestos de rua e sobre fantasmas. No mês passado, o presidente mudou-se com a família do Palácio do Jaburu, a residência do vice, para o Palácio da Alvorada. Ele conta que, a partir de então, não conseguiu mais dormir. Seriam fantasmas?, perguntou. A solução foi voltar ao Jaburu.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Publicidade