Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

STF tem dois votos para arquivar inquérito contra Aloysio Nunes

Ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli concordaram com pedido da defesa, que alegou falta de provas

Por Da Redação Atualizado em 7 ago 2018, 19h30 - Publicado em 7 ago 2018, 19h05

A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) registrou hoje dois votos a favor do arquivamento do inquérito aberto para investigar o senador licenciado pelo PSDB e ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira – o colegiado tem cinco ministros. Após os votos dos ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli a favor do arquivamento, Edson Fachin pediu vista do processo. O julgamento deve ser retomado no dia 28 de agosto.

O pedido de arquivamento foi solicitado ao STF pela defesa de Nunes, que alegou falta de provas para o prosseguimento da investigação. A defesa de Aloysio também sustentou que as diligências que foram solicitadas pelo Ministério Público e pela Polícia Federal não conseguiram encontrar provas que pudessem corroborar as declarações dos delatores.

Aloysio foi citado por delatores ligados à empreiteira Odebrecht, e a investigação foi aberta a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), no fim do ano passado. Em um dos depoimentos, o delator Carlos Armando Guedes Paschoal confirmou o pagamento de 500.000 reais para a campanha de Nunes, em 2010. Segundo outro delator, Benedicto Junior, “esta doação não teria sido contabilizada”.

Ao analisar o pedido de arquivamento, solicitado pela defesa, o relator do caso, ministro Gilmar Mendes, entendeu que, até o momento, as investigações não conseguiram ir além dos depoimentos dos delatores. “Restou fragilizada a hipótese criminal que orienta a investigação em análise, a qual ressaltou a precariedade dos elementos de corroboração apresentados pelos colaboradores da Odebrecht”, argumentou o ministro.

(com Agência Brasil)

Continua após a publicidade

Publicidade