Clique e assine a partir de 9,90/mês

STF pode condenar terceiro réu do Banco Rural nesta 5ª

Até agora, a corte já considerou culpados ex-presidente e ex-vice-presidente da instituição. Basta 1 voto para que ex-diretor do banco também seja condenado

Por Gabriel Castro e Laryssa Borges - Atualizado em 10 dez 2018, 10h33 - Publicado em 6 set 2012, 07h38

O Supremo Tribunal Federal segue nesta quinta-feira a análise dos crimes cometidos pela cúpula do Banco Rural. Os ministros já selaram a condenação de Kátia Rabello, ex-presidente da instituição bancária, e de José Roberto Salgado, ex-vice-presidente. Agora, a corte pode confirmar a culpa de Vinícius Samarane, ex-diretor do banco. O placar parcial é de 5 a 1: basta mais um voto para que a maioria pró-condenação esteja formada.

Até agora, os seis ministros que já votaram foram favoráveis à punição de Kátia e Salgado pelo crime de gestão fraudulenta. O Banco Rural alimentou o esquema do mensalão com empréstimos falsos na casa dos 32 milhões de reais: 3 milhões para o PT, 19 milhões para a SMP&B, e 10 milhões para a Grafitti. As duas empresas pertencem ao publicitário mineiro Marcos Valério. No vídeo a seguir, acompanhe o debate entre Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, o historiador Marco Villa e José Roberto Guzzo, colunista de VEJA, sobre a sessão desta quarta (para continuar lendo o texto, clique aqui).

https://www.youtube.com/watch?v=L9axjtXeKYk A quarta ré ligada ao banco, Ayanna Tenório, deve ser absolvida: até agora, o placar é de 5 a 1 contra a condenação dela, que ocupou uma das vice-presidências da instituição. A maioria dos ministros que votaram até agora considerou que ela não tinha conhecimento das irregularidades.

Leia também:

Continua após a publicidade

entenda o escândalo do mensalão

Veja as penas impostas, réu a réu, crime a crime

Saiba como foi o dia a dia do julgamento

O Ministério Público Federal alega que, para realizar as operações financeiras fraudulentas, a instituição descumpriu normas do Banco Central, atribuiu avaliações erradas para o risco de calote dos credores e suprimiu documentos que provariam as irregularidades. Em troca, o Banco Rural pretendia obter acesso à liquidação do Banco Mercantil de Pernambuco.

Continua após a publicidade

O ministro Gilmar Mendes será o primeiro a votar na sessão desta quinta. Em seguida, falarão Marco Aurélio Mello, Celso de Melo e Carlos Ayres Britto.

Publicidade