Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Secretário anuncia convite para assumir Agricultura

Neri Geller deve ser anunciado nesta quinta-feira no lugar de Antônio Andrade, que vai tentar a reeleição como deputado

Por Marcela Mattos 12 mar 2014, 22h37

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, afirmou ter sido convidado nesta quarta-feira pela presidente Dilma Rousseff para assumir o comando da pasta. O anúncio formal da indicação deve sair nesta quinta-feira e a posse, na sexta. Geller substituirá o ministro Antônio Andrade, deputado licenciado que vai deixar o posto para tentar a reeleição na Câmara dos Deputados.

O convite, segundo Geller, foi feito nesta tarde após reunião com Dilma. Também participaram do encontro o chefe de gabinete da presidente, Giles Azevedo, e Antônio Andrade. A nomeação dá continuidade à reforma ministerial de Dilma iniciada em janeiro e ainda inconclusa devido aos desentendimentos do governo com a base – com destaque para o PMDB -, que busca maior espaço no primeiro escalão.

Ao fim da conversa com a presidente, Geller esteve na Câmara dos Deputados para informar o convite ao presidente Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e ao líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). O futuro ministro, que ficou como suplente nas eleições de 2010 pelo PP, filiou-se ao PMDB em outubro do ano passado.

Leia ainda: Dilma nega ministério, mas oferece apoio ao PMDB em seis Estados

Após ser jogado para escanteio na reforma de Dilma, o PMDB entrou em guerra com o governo para conseguir mais um ministério – o sexto do partido. Diante da negativa, os peemedebistas decidiram não indicar nomes para substituir os dois deputados que hoje ocupam ministérios e vão entregar o cargo para entrar na disputa eleitoral – além de Andrade na Agricultura, o parlamentar licenciado Gastão Vieira comanda o Turismo. No caso de Vieira, porém, a presidente ainda não oficializou o sucessor. O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) chegou a ser cortejado por Dilma, mas recusou a proposta por avaliar que a cadeira deve permanecer na cota da Câmara.

Continua após a publicidade

“Eu fui deputado federal, tenho uma ligação com o Congresso, estive hoje no Senado, onde conversei com lideranças. Mas não é uma indicação da bancada, é uma indicação do ministro Antônio Andrade e fui convidado pela presidente da República”, disse Geller.

De saída, o ministro Antônio Andrade afirmou que a indicação de Dilma “vai de encontro aos interesses do agronegócio” e foi bem aceita pela bancada peemedebista. “Apresentei o nome do Neri e não teve nenhuma objeção de nenhum deputado. É claro que conversamos e vim aqui agradecer o apoio da bancada federal”, disse Andrade.

Leia também:

Dilma tenta domar PMDB e indica nomear ministro sem aval

Presidente da Câmara diz que ‘reforma ministerial desastrada’ ampliou a tensão com PMDB

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)