Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Seca deixa 312 municípios do RS em emergência

Levantamento mostra que chuva dos últimos dias amenizou os efeitos da estiagem em algumas regiões

Por Da Redação 20 jan 2012, 08h31

O Rio Grande do Sul registra 312 municípios em situação de emergência devido à estiagem que atinge o estado nos últimos meses e que já afetou mais de 1,8 milhão de pessoas. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), esses municípios já podem receber o pagamento antecipado do Bolsa Família.

Com a antecipação, o MDS espera permitir que as famílias adquiram itens básicos de consumo. “As ações emergenciais de pagamento vão garantir o mínimo para sobreviver”, afirma o coordenador-geral de Logística de Pagamentos de Benefícios do MDS, Gustavo Camilo.

Um levantamento da Associação Rio-grandense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS) mostra que as chuvas dos últimos dias já diminuem os efeitos da estiagem em algumas regiões do estado. As precipitações ajudaram as lavouras de grãos das regiões Leste, Nordeste e Norte, mas não beneficiaram de forma significativa as regiões da Campanha, Fronteira Oeste, Sul e Centro, a mais atingida pela seca.

Segundo o informativo, divulgado nesta quinta-feira, 49% das lavouras de soja nos municípios onde houve precipitações ainda podem retomar o crescimento até a floração. Para o restante destas plantações, que já alcançaram o estágio de floração ou de formação de grãos, a preocupação é maior, pois como as plantas estão muito pequenas devido à seca, se não chover nos próximos dias, a produtividade final pode ficar ainda mais comprometida.

Continua após a publicidade

Algumas lavouras de feijão também foram beneficiadas pelas chuvas, mas a Emater constatou que a produção do milho foi muito prejudicada e não deve conseguir se recuperar. Até o momento, a estiagem causou um prejuízo de 2,2 bilhões de reais na safra atual.

Sudeste – Na Região Sudeste, seis municípios mineiros e um fluminense, São Fidélis, foram incluídos na agenda de pagamentos antecipados do Bolsa Família por causa das chuvas. Para sacar o benefício, as famílias inscritas no programa devem procurar uma agência da Caixa Econômica Federal. Quem perdeu os documentos nas enchentes deve entrar em contato com a prefeitura de sua cidade para a emissão da Declaração Especial de Pagamento. Trata-se de um documento de caráter provisório com validade de um mês. O valor dos recursos a serem liberados para os beneficiários do Bolsa Família supera 74 milhões de reais.

Leia também:

Seca: prejuízos no RS só devem ceder em cinco anos

Chuvas: por que o Brasil não consegue evitar essa tragédia

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)