Clique e assine a partir de 9,90/mês

Seca deixa 312 municípios do RS em emergência

Levantamento mostra que chuva dos últimos dias amenizou os efeitos da estiagem em algumas regiões

Por Da Redação - 20 jan 2012, 08h31

O Rio Grande do Sul registra 312 municípios em situação de emergência devido à estiagem que atinge o estado nos últimos meses e que já afetou mais de 1,8 milhão de pessoas. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), esses municípios já podem receber o pagamento antecipado do Bolsa Família.

Com a antecipação, o MDS espera permitir que as famílias adquiram itens básicos de consumo. “As ações emergenciais de pagamento vão garantir o mínimo para sobreviver”, afirma o coordenador-geral de Logística de Pagamentos de Benefícios do MDS, Gustavo Camilo.

Um levantamento da Associação Rio-grandense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS) mostra que as chuvas dos últimos dias já diminuem os efeitos da estiagem em algumas regiões do estado. As precipitações ajudaram as lavouras de grãos das regiões Leste, Nordeste e Norte, mas não beneficiaram de forma significativa as regiões da Campanha, Fronteira Oeste, Sul e Centro, a mais atingida pela seca.

Segundo o informativo, divulgado nesta quinta-feira, 49% das lavouras de soja nos municípios onde houve precipitações ainda podem retomar o crescimento até a floração. Para o restante destas plantações, que já alcançaram o estágio de floração ou de formação de grãos, a preocupação é maior, pois como as plantas estão muito pequenas devido à seca, se não chover nos próximos dias, a produtividade final pode ficar ainda mais comprometida.

Continua após a publicidade

Algumas lavouras de feijão também foram beneficiadas pelas chuvas, mas a Emater constatou que a produção do milho foi muito prejudicada e não deve conseguir se recuperar. Até o momento, a estiagem causou um prejuízo de 2,2 bilhões de reais na safra atual.

Sudeste – Na Região Sudeste, seis municípios mineiros e um fluminense, São Fidélis, foram incluídos na agenda de pagamentos antecipados do Bolsa Família por causa das chuvas. Para sacar o benefício, as famílias inscritas no programa devem procurar uma agência da Caixa Econômica Federal. Quem perdeu os documentos nas enchentes deve entrar em contato com a prefeitura de sua cidade para a emissão da Declaração Especial de Pagamento. Trata-se de um documento de caráter provisório com validade de um mês. O valor dos recursos a serem liberados para os beneficiários do Bolsa Família supera 74 milhões de reais.

Leia também:

Seca: prejuízos no RS só devem ceder em cinco anos

Continua após a publicidade

Chuvas: por que o Brasil não consegue evitar essa tragédia

Publicidade