Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Se tivesse prova, já teria denúncia”, diz Segovia sobre Temer

Apesar de ter recebido ordem de silêncio do STF, o ex-diretor-geral da Polícia Federal volta a comentar investigação envolvendo presidente

O ex-diretor-geral da Polícia Federal Fernando Segovia entrou para a história da corporação. Em apenas 99 dias no cargo, ele disse que uma mala de dinheiro não poderia ser considerada prova, afirmou que não havia indícios de crimes num inquérito que envolve o presidente Michel Temer, despertou a fúria de um grupo de delegados da Lava-Jato, recebeu ordens do ministro Luís Roberto Barroso para ficar em silêncio — e foi demitido. Desde que deixou o comando da PF, em fevereiro, Segovia submergiu para não atrapalhar o processo de sua nomeação como adido na Itália.

Mas na terça-feira 6, o ex-diretor-geral da PF quebrou o silêncio. Em entrevista publicada em VEJA desta semana, ele falou sobre os bastidores de sua queda e, contrariando ordem do Supremo Tribunal Federal, voltou a dizer que não há provas contra Temer num inquérito que apura se o presidente recebeu propinas de uma empresa do setor portuário. “Se já houvesse todas essas provas, o que aconteceria? O Ministério Público teria de denunciar”, afirmou Segovia.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana para iOS e Android.

Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    O Ministro Barroso terá coragem de enquadrar?

    Curtir

  2. Paulo Bandarra

    É isto que dá deixar um criminoso na Presidência da República. O país se desmoraliza assim como as instituições.

    Curtir

  3. Carlos Aurélio

    Pois é, os apaniguados defendem bandidos até debaixo da água, quando já estão morrendo afogados. Mala com 500.000? Que nada! (Cada vez mais envergonhado de ser brasileiro.)

    Curtir

  4. Esse cara é uma vergonha!

    Curtir

  5. Didi Oliveira

    pau mandado safado, vergonha de ser brasileiro, tem que manter isso, viu? que nôjo profundo!!!!!

    Curtir

  6. alfredo lucio saback soares de quadros

    o segóvia é o marcelo miller do temer. aquele agente duplo do caso jbs.
    mas, se o Brasil realmente pretende acabar com a bandidagem política e seus favorecidos, deve imediatamente solicitar o cancelamento da nomeação ilegal do segóvia como adido.
    foi um cala boca ?/????

    Curtir

  7. Carlos Aurélio

    Infelizmente nem foi um cala boca, foi um tapa na bunda desse sujeitinho com focinho de bebê chorão. Em todo caso, seria interessante ver a oposição pedindo a anulação disso aí.

    Curtir

  8. Luiz Chevelle

    Se derem um tiro no saco de Temer, Segovia perde o maxilar,

    Curtir